Médico assina atestado de óbito de paciente viva

Um médico do Hospital de Saracuruna, em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense, atestou o óbito de uma paciente viva. Rosa Assis, de 60 anos, estava no necrotério do hospital quando parentes viram que ela respirava. A mulher ficou 2 horas em um saco plástico. A Secretaria de Estado da Saúde disse que abriu sindicância. Rosa chegou à emergência do hospital na sexta-feira com diagnóstico de pneumonia e respirava com ajuda de aparelhos. À noite, após alguns testes, o médico de plantão atestou a morte. O chefe do plantão, então, emitiu declaração de óbito. Do necrotério, Rosa voltou ao Centro de Tratamento Intensivo.

O Estado de S.Paulo

25 de setembro de 2011 | 03h03

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.