Médico assassinado será enterrado na sexta em Maringa

O pneumologista José Edmur dos Santos teria reagido a um assalto e levou um tiro na cabeça

Camilla Haddad, do Jornal da Tarde,

16 de agosto de 2007 | 14h49

O corpo do médico pneumologista José Edmur dos Santos, de 51 anos, será enterrado na cidade de Maringá, no Paraná, onde ele nasceu, na manhã de sexta-feira, 17, segundo informou familiares da vítima. Santos foi assassinado com um tiro na cabeça às 22 horas da última quarta-feira, dez minutos após deixar a clínica onde trabalhava, na Rua Pedro de Toledo, na Vila Clementino, na zona sul da capital paulista. O médico estava a caminho do Hospital São Paulo, local onde o profissional iria encontrar a esposa, também médica.   De acordo com a polícia, Santos teria reagido a um assalto em que o bandido pediu o celular da vítima. O pneumologista ainda foi levado com vida para o Hospital São Paulo, onde não resistiu aos ferimentos.   O corpo dele ainda permanece no Instituto Médico Legal (IML) central, na região de Pinheiros, na Zona Oeste. Santos morava no bairro de Chácara Paraíso, na região do Tatuapé, na zona leste da capital.   Este é o segundo caso de latrocínio registrado na região metropolitana de São Paulo. Na segunda-feira, a estudante universitária Tamires da Silva Pança Burlani, de 19 anos, foi morta após ter sido assaltada no semáforo do cruzamento da Avenida Conceição com a Avenida Presidente Kennedy, em Diadema.   O assassino teria exigido o carro da jovem, mas acabou levando apenas sua bolsa. A polícia acredita que ela foi baleada enquanto tentava retirar o cinto de segurança do seu carro, um Corsa.

Tudo o que sabemos sobre:
AssassinatoUnifespSanta Cruz

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.