Médica é assassinada a facadas pelo marido em Mogi das Cruzes

Adriana Marques, de 43 anos, teria brigado com o marido na manhã do sábado, quando foi atacada por ele - que ainda tentou suicídio

Felipe Resk, O Estado de S. Paulo

18 Janeiro 2015 | 16h33

Atualizado às 17h40

SÃO PAULO - A médica Adriana Angélica Marques, de 43 anos, foi morta a facadas pelo marido dentro do apartamento onde morava em Mogi das Cruzes, na Grande São Paulo. O crime aconteceu na manhã deste sábado, 18. O português Sérgio Manuel Canteiro Mata, de 43 anos, com quem a vítima era casada, tentou se matar após esfaquear a mulher.

Por volta das 9h45, a Polícia Militar recebeu uma ligação pelo 190 alertando para uma briga de casal em um condomínio no bairro de César de Souza, em Mogi das Cruzes. Os oficiais foram até o apartamento acompanhados do porteiro do prédio, mas encontraram a porta trancada e o ambiente silencioso. Dentro da casa, ninguém respondia aos chamados da campainha nem do interfone.

Segundo a Polícia Civil, um chaveiro que presta serviço para o prédio foi acionado para destrancar a porta e os policiais conseguiram entrar. Adriana foi encontrada caída no quarto do casal, com cortes profundos na altura do pescoço. Ela teve a morte constatada pela equipe médica do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) no local.

Os agentes perceberam, ainda, que o banheiro estava fechado. Após arrombarem a porta, os policiais se depararam com o português, que estaria tentando se matar. Segundo o delegado Marcos Batalha, titular da Seccional de Mogi das Cruzes, Mata usou a própria faca na tentativa de suicídio.

O marido da vítima foi desarmado pelos policiais, mas, ferido, precisou ser levado para o Hospital das Clínicas Luzia de Pinho Melo, que também fica em Mogi, onde ficou internado sob escolta policial. "Ele foi internado em estado grave, mas como não veio a morrer foi autuado em flagrante", explicou o delegado Batalha.

Questionado pelos PMs sobre o motivo do assassinato, Mata não teria fornecido nenhuma informação. A Polícia Civil requisitou perícia no local e também apreendeu a faca usada no crime.

Mais conteúdo sobre:
Violência São Paulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.