Média de atrasos em vôos é de 4 horas e meia, diz estudo

Relatório obtido com exclusividade pelo estadao.com.br mostra que 72% dos passageiros enfrentaram atrasos

Anne Warth, da Agência Estado,

21 de agosto de 2007 | 16h50

Levantamento realizado pela H2R Pesquisas Avançadas sobre comportamento de quem usa a aviação civil no País e obtido em exclusividade pelo estadao.com.br mostrou que 72% dos passageiros que viajaram pelo menos uma vez nos últimos seis meses enfrentaram atrasos superiores a uma hora. O atraso médio dos vôos foi, no entanto, bem maior, chegando a quatro horas e meia.   A pesquisa, cujo objetivo é apontar os impactos dos acidentes com o Airbus da TAM e o Boeing da Gol sobre os usuários do sistema aéreo, revela ainda que 34% dos entrevistados desistiram de alguma viagem de avião no período, 24% tiveram algum vôo cancelado e 30% tiveram algum vôo adiado pelas companhias aéreas nos últimos seis meses. Entre os usuários que viajam a trabalho, 32% perderam algum negócio ou reuniões profissionais devido aos problemas do sistema aéreo.   O levantamento indica algumas mudanças nos hábitos dos brasileiros que costumam viajar de avião - 42% estão fazendo menos viagens aéreas e 31% estão viajando menos de forma geral. 20% dos entrevistados passaram a utilizar ônibus para realizar viagens mais curtas.   Os maiores beneficiados pela crise aérea, entretanto, foram os comerciantes dos aeroportos. Com os problemas de atrasos e cancelamentos, 39% das pessoas consultadas passaram a consumir mais lanches e cafés nas lanchonetes, 37% fizeram mais compras nas revistarias e 31% aumentaram a freqüência com que almoçam ou jantam nos restaurantes localizados nos aeroportos.   Os dois últimos acidentes aéreos elevaram também a quantidade de pessoas que dizem ter medo de voar. Do total de passageiros entrevistados, 38% não tinham medo de voar, mas passaram a ter depois dos acidentes. 16% já tinham medo e continuam a temer. Com a soma dos resultados, a pesquisa demonstra que atualmente a maior parte dos usuários (54%) do sistema aéreo brasileiro tem medo de voar.   O levantamento foi realizado entre os dias 3 e 11 de agosto, com 240 pessoas, nas cidades de São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Porto Alegre e Recife. Desse universo, 28% dos entrevistados fazem mais de 12 viagens aéreas por ano e 25% voam de 5 a 12 vezes por ano.L

Tudo o que sabemos sobre:
crise aéreaapagão aéreoatrasos

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.