Mater Dei comemora 50 anos com exposição

A cidade de São Paulo mudou muito desde que o colégio Mater Dei, nos Jardins, foi inaugurado, há 50 anos. E, no aniversário da instituição, os alunos celebraram essas diferenças em uma mostra comemorativa sobre sustentabilidade, cultura e tecnologia na capital paulista.

JULIANA DEODORO, O Estado de S.Paulo

27 de agosto de 2012 | 03h04

Os trabalhos, apresentados no último sábado em uma festa na escola, foram criados por alunos de todas as séries, do ensino fundamental ao médio e teve a colaboração de funcionários e professores. "Os estudantes pesquisaram como era a cidade nos anos 1960, passando por temas como medicina, esporte, sistema viário e paisagem urbana", conta o diretor da escola, Sílvio Gomide. "O interessante é que tiveram de consultar os avós e perguntar, por exemplo, como era a Avenida Paulista na época deles."

Segundo Gomide, a ideia de focar os trabalhos na sustentabilidade partiu do próprio interesse dos alunos pelo tema. "Essa geração está muito ligada nisso, eles discutem coleta seletiva, aquecimento global e consumo responsável dentro das salas de aula."

Uma das iniciativas desenvolvidas pelos estudantes do ensino médio para a mostra pode servir de exemplo para outras instituições. Os alunos mudaram todo o sistema de coleta de lixo da escola, de forma a facilitar o recolhimento feito pela Prefeitura.

História. O colégio Mater Dei foi fundado em 1962 pelo avô de Gomide e foi uma das primeiras escolas particulares da capital. "Naquela época, as escolas privadas eram mantidas apenas por fundações ou instituições religiosas. Ela surgiu em uma época em que não se via a educação como uma possibilidade de empreendimento."

Passados 50 anos, a instituição tem mais de 1,2 mil alunos, divididos em duas sedes, uma em São Paulo e outra em São José dos Campos. Para o diretor, o que mais se destaca em todos esses anos é o vínculo criado pelas pessoas que passaram pela escola com a instituição. "Temos muitas ex-alunas que se tornaram professoras, ou ex-alunos cujos filhos estudam na escola."

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.