Matarazzo responderá a processo por dizer que CPI da água é ‘teatro’

Em conversa com presidente da Sabesp, em reunião de comissão, vereador ainda chamou colega de ‘vagabundo’

Adriana Ferraz e Bruno Ribeiro, O Estado de S. Paulo

15 de outubro de 2014 | 22h47

SÃO PAULO - O vereador Andrea Matarazzo (PSDB) vai responder a um processo interno na Corregedoria da Câmara Municipal por ter ofendido a Casa e o vereador José Police Neto (PSD). A decisão foi tomada após a revelação da existência de um vídeo no qual o tucano diz que a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) instaurada para investigar a Sabesp é só um “teatro”, sem a menor consequência. 

Na conversa com a presidente da Companhia de Saneamento Básico de São Paulo, Dilma Pena, em reunião realizada pela CPI no dia 8, Matarazzo ainda classifica Police Neto como “vagabundo” e Dilma o chama de “sem-vergonha”. Divulgada pelo jornal Folha de S.Paulo, a conversa ocorreu no dia 8, antes de Dilma iniciar seu depoimento aos integrantes da CPI, e foi captada pelos microfones oficiais da Câmara. 

As declarações do tucano paralisaram a sessão plenária desta quarta-feira, 15. Police Neto informou na tribuna que vai processar Matarazzo nas esferas cível e criminal. Já o tucano se mostrou constrangido e pediu desculpas. Em nota, ele ainda reclamou do vazamento, “sabe-se lá com que objetivo”, de uma conversa privada. 

Convidada a participar da reunião realizada nesta quarta pela CPI da Sabesp, Dilma Pena também se desculpou. “A conversa que tive, particular e fora do período institucional dessa casa, com o amigo de longa data, me constrange profundamente. Foi um comentário infeliz”, disse. Segundo ela, não houve intenção de “macular a Casa nem a pessoa citada”. 

O presidente José Américo (PT) ficou de entregar hoje um relatório técnico que explique como as imagens e o áudio foram repassados à imprensa.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.