Matador em série extermina 50 cães com lingüiça envenenada

Segundo a polícia, homem misterioso age nas madrugadas e ataca cachorros que têm lar e também os de rua

Gilberto Amendola, do Jornal da Tarde,

02 de outubro de 2007 | 16h24

A pacata cidade de Sales Oliveira, no interior de São Paulo, está sendo palco para assassinatos em série, que têm acontecido, geralmente, nas madrugadas. No último mês, mais de 50 mortes de cachorros, por envenenamento, foram registradas na cidade. A polícia acredita que um homem misterioso vem oferecendo lingüiças envenenadas aos cães da região.   No começo, as vítimas eram apenas os cães de rua. Não era raro, a cidade amanhecer com uma dezena de animais mortos ao redor de sua praça central. Apesar de chocados, os moradores ainda não tinham percebido a gravidade da situação. "Aqui, existem muitos cachorros de rua. Eu gosto de animais, mas não me incomodava até a morte chegar ao meu quintal", disse o estudante Alex José Ramos de Souza.   Os dois vira-latas de estimação de Alex, Tite Branco e Tite Preto, morreram depois de ingerir as tais lingüiças envenenadas. "Esse assassino está atirando as lingüiças dentro de nossos quintais. Você precisa ver o sofrimento dos cãezinhos. O Tite Preto ficou agonizando por três horas antes de morrer", disse Alex.   A agricultora Fátima Fabrini tinha nove cães. Três deles foram envenenados pelo serial killer. "Como eu tenho muitos cães, eu vivo com remedinhos e antídotos. Assim, consegui salvar dois. Infelizmente, uma morreu", disse. "Agora, imagina se uma criança engole uma lingüiça dessas?", completou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.