Massa de ar polar gela a cidade até amanhã

Para escapar do frio, paulistanos recorrem a bufê de sopas e locação de DVDs; previsão é de que a temperatura só aumente no fim de semana

, O Estado de S.Paulo

20 de maio de 2010 | 00h00

A chegada de uma massa polar fez a maioria dos paulistanos ontem tirar os casacos do armário. Na madrugada, a temperatura chegou a 11 graus na capital. E a previsão é de mais frio pelo menos até amanhã. Hoje, a mínima deve cair para 10 graus e a máxima não ultrapassará 19 graus. A boa notícia é que no fim de semana as temperaturas devem voltar a subir. E, apesar de frios, os próximos dias também serão bonitos. A frente fria deve diminuir a nebulosidade, limpando as nuvens para que o sol apareça. "É normal. Afinal, estamos chegando no inverno", explica o meteorologista da Climatempo André Madeira.

O tempo frio faz aumentar o movimento em alguns locais da cidade. Na noite de ontem, por exemplo, enquanto as calçadas da Praça Vilaboim, em Higienópolis, estavam quase vazias e alguns poucos estudantes tomavam cerveja encolhidos nos bares, a alguns metros de distância, numa padaria da Avenida Angélica, a situação era bem diferente. Atraídos pelo festival de sopas da Padaria Iracema, motoristas estacionavam até em fila dupla para conseguir uma mesa. E, apenas de camiseta, o sócio Manuel Capela corria de um lado para outro para dar conta de atender os 250 clientes que apareceram para se esquentar com as sopas. "Quando o frio chega, nosso movimento no bufê de sopas cresce 60%", explica.

Uma das mesas era ocupada pela estudante gaúcha Gabriela Benvegnu de Barros, de 23 anos. Em companhia da amiga Fabíola Rodrigues, de 30, ela tomava um caldo verde e disse que procurou as sopas porque elas "ajudam a esquentar por dentro". Já o corintiano Luiz Carlos Angelino, vendedor de tratores, contou que, além de esquentar, as sopas ontem o ajudavam a juntar energias para torcer contra o São Paulo no jogo com o Cruzeiro que ocorreria mais tarde ? o resultado no final foi 2 a 0 para o time paulista. "Quando o frio chega, gosto de provar diferentes restaurantes que servem sopas. Além daqui, vou a um em Santana e outro na Rua Estados Unidos."

Outro comerciante que tinha motivos para comemorar a noite gelada era o gerente da HM Home Vídeo, Átila Aragão. Basta chegar o inverno para que o movimento em sua locadora aumente 40%. Ontem, mais de 300 pessoas haviam passado pela loja para alugar DVDs.

Aragão conta que muda até mesmo o perfil do público: jovens, que desistem de sair e precisam arrumar algo para fazer em casa. "Saem muito os blockbusters, como Avatar, Bastardos Inglórios, filmes que a garotada gosta mais", resume.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.