Masp não tinha seguro para os quadros de Picasso e Portinari

Sistema de alarme estava desativado na madrugada desta quinta, quando duas telas foram levadas do museu

Jotabê Medeiros, de O Estado de S. Paulo,

20 de dezembro de 2007 | 19h20

O principal museu de arte da América Latina, o Museu de Arte de São Paulo (Masp) não tem seguro específico para suas obras de arte, mas apenas um seguro geral para o prédio. A informação foi confirmada por Paulo Alves, assessor de imprensa do museu. Na madrugada desta quinta-feira, 20, três ladrões roubaram as telas O lavrador de café, de Candido Portinari, e Retrato de Suzanne Bloch, de Pablo Picasso. As obras são avaliadas em US$ 5 milhões e US$ 50 milhões, respectivamente. Além disso, o sistema de alarme do museu estava desativado no momento do roubo, segundo Alves.     EXCLUSIVO: assista ao vídeo com imagens do roubo  Ladrões roubam quadros de Portinari e Picasso do Masp Masp aciona Interpol, Itamaraty e PF para recuperar quadros  Brasil é o quarto do mundo em roubo de obras culturais  Blog do Daniel Piza: um roubo, uma crise e a tristeza   Veja galeria de fotos do roubo da Masp    Veja como foi o roubo no Masp    O sistema de alarmes teria sido desativado porque "vivia disparando" quando os seguranças faziam a ronda. Agora, só existe a ronda, feita por cerca de 30 seguranças em sistema de rodízio. Em 29 de outubro, houve uma tentativa de invasão do museu cuja presença, segundo nota da instituição à época, foi detectada pelos alarmes.   Em nome do curador do museu, Teixeira Coelho, Alves afirmou que o seguro não seria habitual em nenhum museu de grande porte do mundo, porque seria impraticável seu pagamento. "Um acervo de US$ 1 bilhão teria uma porcentagem do seu valor, o que daria aí US$ 10 milhões por ano. É mais do que o faturamento do museu, ficaria inviável", disse Alves.   Masp ficará fechado   Segundo nota divulgada nesta quinta, o museu afirmou que vai buscar a colaboração da Polícia Civil, da Interpol, da Polícia Federal e do Itamaraty para recuperar as obras roubadas. De acordo com a nota, o Museu permanecerá fechado até a finalização da perícia policial. A investigação corre em sigilo e a direção do Museu não fornecerá mais informações para não prejudicar o andamento dos trabalhos.   As câmeras de segurança do museu gravaram a ação dos ladrões e as fitas foram entregues à polícia. Essas imagens do circuito interno de TV mostram que a ação foi praticada por três homens jovens e durou apenas três minutos, das 5h09 às 5h12 desta madrugada. Um funcionário do museu que chegou para trabalhar encontrou as portas arrombadas e o boletim de ocorrência foi realizado por volta das 10 horas.   O arrombamento foi feito com um macaco hidráulico pé-de-cabra, que foram abandonados no local.   Investimentos   O roubo ao Masp aconteceu na semana em que o Ministério da Cultura anunciou a liberação de R$ 20 milhões para os museus brasileiros, a serem investidos até o ano de 2011. Por ocasião do Dia do Museólogo, o diretor do Departamento de Museus do MinC, José do Nascimento Junior, foi ao Rio de Janeiro na terça-feira, 18, e lançou três editais, que irão beneficiar as cerca de 2.500 instituições espalhadas pelo País.   Dos R$ 20 milhões, 10% serão destinados à modernização dos museus, o que inclui a compra de equipamentos de segurança e de iluminação. Estão previstos ainda recursos para a criação de museus em cidades com menos de 50 mil habitantes e o patrocínio para realização de uma série de seminários sobre museus, patrimônio e memória em todo o Brasil.   Outra intenção do MinC é promover campanhas que visam ao aumento da visitação dos museus, que deve focar primeiro nos estudantes, e à convocação da sociedade a colaborar com as associações de amigos das instituições, a fim de incrementar sua receita.   (Com informações de Roberta Pennafort, de O Estado de S. Paulo.)

Tudo o que sabemos sobre:
maspPablo PicassoCandido Portinari

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.