Marta adota nova minoria

Só o que faltava

TUTTY HUMOR, O Estado de S.Paulo

11 Novembro 2011 | 03h04

O humor está de luto! Com a queda anunciada do Berlusconi na Itália, a turma que ganha a vida fazendo piada perde um de seus principais colaboradores em todo o mundo. Aqui no Brasil, pelo menos, a gente ainda tem o Lupi para fazer rir, né?

Eu, hein!

Que diabos o prefeito Eduardo Paes quis dizer com "obra é igual mulher bonita"? Toda esburacada, barulhenta e perigosa, é isso?

Estranho no ninho

Dá para acreditar que o deputado Miro Teixeira (PDT-RJ) não foi à reunião da executiva nacional de seu partido com o ministro Carlos Lupi porque sentiu o joelho? Foi o que disseram os jornais!

Já pensou?

Fãs do UFC reclamam de barriga cheia da anunciada narração de Galvão Bueno nas lutas de MMA que a Globo passa a transmitir a partir deste fim de semana. Deviam dar graças a Deus por não ser ele o lutador e Anderson Silva o locutor!

Aécio & Cia

O feriadão começou ontem à noite para a bancada tucana no Congresso. A festa de aniversário do presidente nacional do PSDB, Sérgio Guerra, bombou madrugada adentro no Recife.

Notícia enguiçada

Quantas vezes o Real Madrid vai precisar comprar o Neymar para ele, enfim, se mudar para a Europa? Os jornais já anunciaram umas cinco vezes a transferência do craque para o time espanhol.

Calma!

Faltam só 50 dias para terminar 2011!

Nem brinca!

Nem um nem outro: o Nem que foi em cana no Rio não é ninguém de Brasília!

O mundo LGBT está meio órfão! Lésbicas, gays, bissexuais e transformistas de toda sorte desconfiam que, sempre à frente de seu tempo, Marta Suplicy tenha adotado oficialmente no Senado a defesa dos interesses de uma nova minoria social.

Nunca antes na história desse País uma liderança política havia levantado a voz no Congresso para proteger o consumidor de bombom de licor:

"Quem dirigir depois de comer dois ou três desses de cereja com Cointreau, por exemplo, poderá ser criminalizado no teste do bafômetro pelas novas regras da lei seca?"

Ainda que, particularmente, você não conheça ninguém que cultive esse hábito, imagina quantas senhoras louras respiraram aliviadas após parecer da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) atestando, a propósito do questionamento da senadora, que bombom de licor não incrimina ninguém ao volante, independentemente de seu sabor ou da cor do cabelo do motorista.

Foi só a primeira vitória de uma luta que se anuncia longa.

Não demora muito, o que vai ter de comedor de bombom de licor saindo do armário em blitz da madrugada, capaz até de dar quórum para marcha na Avenida Paulista.

Lupimania

"SÓ SAIO

DO SANTOS

À BALA!"

Neymar

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.