Bruna Tiussu/ Estadão
Bruna Tiussu/ Estadão

Marinha acha novo pertence que pode ser de vítimas da queda do avião em Ubatuba

Copiloto e outro ocupante do bimotor seguem desaparecidos; parentes e amigos têm feito campanha pelas buscas nas redes sociais

José Maria Tomazela, O Estado de S. Paulo

02 de dezembro de 2021 | 23h05

SOROCABA – Uma embarcação da Marinha do Brasil que participa das buscas pelo avião que desapareceu no mar, em Ubatuba, litoral norte de São Paulo, em 24 de novembro, encontrou mais uma evidência de que a aeronave com três pessoas a bordo caiu naquela região. O barco Tarpon localizou e recolheu uma bolsa tipo nécessaire que pode ser de um dos ocupantes do avião. O objeto será encaminhado ao Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Cenipa) para perícia. O órgão da Força Aérea Brasileira (FAB) é responsável pela investigação do acidente aéreo.

O bimotor desapareceu na noite de 24 de novembro, após decolar do Aeroporto dos Amarais, em Campinas, interior de São Paulo, com destino ao Aeroporto de Jacarepaguá, zona oeste do Rio. O último contato da torre de controle desse aeroporto com o piloto foi feito às 21h40, quando o avião sobrevoava o mar, entre Ubatuba e Paraty (RJ). Familiares também perderam contato com os tripulantes e avisaram as autoridades. O corpo de um dos tripulantes do avião, o piloto Gustavo Calçado Carneiro, de 27 anos, foi localizado no dia seguinte ao acidente.

No dia 27, outra embarcação da Marinha recolheu uma mochila, depois identificada como sendo do copiloto José Porfírio de Brito Junior, de 20 anos. Também estava no avião o passageiro Sérgio Alves Dias Filho, de 45 anos, empresário carioca e campeão brasileiro de jiu-jitsu. As buscas pelo avião e os dois ocupantes completaram oito dias nesta quinta. A Marinha utiliza três embarcações na procura, que já abrange quase 4,1 mil km2 do litoral, a uma distância de até 45 km da costa. Familiares das vítimas auxiliam nas buscas.

A FAB informou que continua na operação de busca e salvamento da ocorrência envolvendo a aeronave de prefixo PP-WRS, com a participação de uma aeronave C-130 Hércules, que decolou às 5 da manhã para as buscas. O helicóptero HC-36 Caracal está sendo acionado conforme a necessidade. “Até o momento, uma área de mais de 5.700 km2 do litoral foi coberta pela busca aérea”, disse, em nota. Segundo a FAB, o Cenipa acompanha as buscas e quaisquer indícios relacionados à ocorrência são considerados na investigação.

Familiares e amigos dos desaparecidos no acidente têm feito intensa mobilização nas redes sociais pelas buscas do copiloto e do passageiro da aeronave. No Twitter, “Achem o avião” era um dos assuntos mais comentados desta quarta-feira, 1º. Nas redes sociais, a mãe do copiloto tem gravado vídeos de apelos para que as buscas continuem. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.