Marginal: multa por invadir faixa de ônibus começa hoje

Restrição vigora em 12,7 km da via, nos 2 sentidos; autuação de R$ 53,20 ainda renderá anotação de 3 pontos na CNH

Caio do Valle, O Estado de S.Paulo

24 Junho 2013 | 02h03

A fiscalização para quem invadir as novas faixas exclusivas para ônibus na Marginal do Tietê começa hoje. Motoristas que desrespeitarem a delimitação receberão multa leve de R$ 53,20 e 3 pontos na carteira nacional de habilitação (CNH).

O novo sistema foi adotado há uma semana em 12,7 km da via, uma das principais da cidade de São Paulo, mas até agora só valeu em caráter de operação assistida. A faixa exclusiva funciona das 6 às 9 horas no sentido Rodovia Castelo Branco. À tarde, a medida vigorará no sentido oposto, das 17h às 20h. Em ambas as direções, a restrição ocorre na pista local, na faixa da direita, entre as Pontes das Bandeiras e Aricanduva.

Além dos 2,4 mil marronzinhos da Companhia de Engenharia de Tráfego (CET), 690 agentes da São Paulo Transporte (SPTrans) já estão aptos a multar invasão de faixa de ônibus. No total, 14 fiscais da SPTrans acompanhavam as primeiras horas de funcionamento da medida na semana passada. Faixas de pano alertando os motoristas estavam espalhadas pelas pontes da marginal. Além disso, placas com a restrição e a sinalização horizontal já estavam instaladas ao longo da via.

O secretário municipal dos Transportes, Jilmar Tatto, disse na semana passada que a Marginal do Pinheiros e a Avenida Paulista estão na lista das próximas vias a receber a faixa exclusiva de ônibus. "Pela primeira vez, nós estamos criando uma medida corajosa, audaciosa, de dizer claramente: 'Na cidade de São Paulo, e nas duas marginais, nós vamos priorizar o transporte coletivo."

Desafio. Na Pinheiros, ela ficará entre as Pontes Cidade Jardim e João Dias. Já no eixo da Paulista a faixa exclusiva ocupará ainda as Avenidas Doutor Arnaldo e Bernardino de Campos e a Rua Domingos de Morais. "O problema na cidade não é a falta de ônibus, é a organização, a distribuição e a velocidade. Vamos sair de 13 km/h para 20 km/h. Assim, você tem mais ônibus no viário e beneficia mais passageiros. Esse é o desafio da Prefeitura", disse Tatto.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.