Maresias: bando fere 1, faz 24 reféns e leva 250 objetos

Desde o Natal, a polícia vem registrando diversos crimes no litoral norte, apesar do reforço no efetivo da Polícia Militar de mais de 500 homens em Caraguatatuba, Ilhabela, São Sebastião e Ubatuba.

REGINALDO PUPO , ESPECIAL PARA O ESTADO , SÃO SEBASTIÃO, O Estado de S.Paulo

02 Janeiro 2013 | 02h04

Um dos casos mais graves ocorreu na Praia de Maresias, em São Sebastião, na madrugada de domingo. Ao menos 24 turistas que dividiam uma casa de veraneio foram atacados por quatro homens armados com revólveres e facas, que invadiram a residência e mantiveram todos reféns por cerca de uma hora. Um dos turistas foi agredido e ficou com hematomas.

Foram levados mais de 250 objetos, entre notebooks, celulares, óculos de sol, roupas e tênis. A PM prendeu dois bandidos em uma casa próxima e recuperou parte do material. Os outros dois criminosos conseguiram fugir. A polícia acredita que o bando possa ser responsável por parte dos assaltos ocorridos na região sul de São Sebastião.

Já em Caraguatatuba, dezenas de assaltos à mão armada e furtos foram registrados. Grande parte foi na orla da Praia Martim de Sá, em plena luz do dia. O analista de sistemas Edvaldo Ferreira, de Promissão (SP), foi uma das vítimas. Ele ia da Martim de Sá para casa, após passar o dia na praia, quando deu falta de um tablet, um aparelho celular, joias e R$ 1 mil. "Era o dinheiro para nossa viagem de retorno. Agora tive de recorrer a familiares para depositarem o valor para podermos ir embora", lamentou.

Mesmo assim, Ferreira disse que não registrou a ocorrência. "Não compensa ficar horas em uma delegacia, sendo que meus pertences não serão recuperados. E a polícia já está cansada de saber que isso sempre acontece, não precisa mais de boletins registrados para estatísticas."

Carros e motos também foram levados de garagens enquanto seus donos estavam na praia. Ainda em Caraguatatuba, uma mulher foi encontrada morta, possivelmente por estrangulamento. O caso é computado pela polícia como mais uma ocorrência de violência na região, embora haja indícios de que tenha sido um crime passional.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.