Marcola será julgado em novembro, informa Justiça

Julgamento foi adiado após defesa abandonar o júri na quinta; novo dia não foi especificado

Priscila Trindade, Central de Notícias

02 de outubro de 2009 | 19h02

A Justiça de São Paulo confirmou que o julgamento de Marco Willians Herbas Camacho, o Marcola, de 41 anos, suspeito de chefiar a facção criminosa Primeiro Comando da Capital (PCC), ocorrerá em novembro deste ano. Segundo o TJ-SP, a data exata do júri popular ainda não foi determinada.

 

Veja também:

link PCC passou a priorizar o tráfico de drogas

especial ESPECIAL: São Paulo refém do crime

 

Na quinta-feira, o advogado de Marcola, Roberto Parentoni, abandonou o júri depois que o juiz Alberto Anderson Filho, negou seis pedidos da defesa para que o julgamento fosse adiado. A defesa alegou que não teve acesso aos documentos do processo nos últimos dias. Marcola não compareceu ao fórum. A atitude tem respaldo na nova lei do júri que permite a ausência do réu.

 

Júlio César Guedes de Moraes, o Julinho Carambola, de 37 anos, apontado pelo Ministério Público Estadual (MPE) como o número 2 do PCC,foi condenado nesta madrugada a 29 anos de prisão. O julgamento durou cerca de 14 horas.

 

A maioria das sete pessoas que compõe o júri votou pela condenação. O advogado de defesa do réu afirmou que vai recorrer da sentença. Carambola também é suspeito de ser um dos mandantes do assassinato do juiz-corregedor de Presidente Prudente, Antonio José Machado Dias.

Tudo o que sabemos sobre:
PCCMarcolajulgamentoJustiça

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.