Marcha Grito dos Excluídos mobiliza mil pessoas em São Paulo

Já segundo organizadores, passeata teve 4,5 mil participantes; marcha também aconteceu em outras 11 cidades do Estado

O Estado de S. Paulo

07 Setembro 2014 | 14h21

SÃO PAULO - Cerca de mil manifestantes participaram da 20ª edição da Marcha Grito dos Excluídos no centro de São Paulo neste domingo, 7, segundo a Polícia Militar. Já de acordo com os organizadores, foram cerca de 4,5 mil pessoas. Desde 1995, 0 protesto acontece tradicionalmente em várias cidades no dia 7 de setembro, em que se comemora a independência do Brasil. O lema deste ano foi “Ocupar ruas e praças por liberdade e direitos”, em referência às manifestações populares de junho de 2013.

O Grito dos Excluídos congrega diversos movimentos sociais. Segundo os organizadores, a passeata também aconteceu em outras 11 cidades de São Paulo: Guarulhos, Santos, Jundiaí, Campinas, Aparecida do Norte, São José dos Campos, Salto, Promissão, Itupeva, Andradina e Americana.

Na capital, o grupo se concentrou na Praça Oswaldo Cruz, no Paraíso, a partir das 9h, informou a PM. Com faixas e bandeiras, as pessoas pediam por reforma política e “padrão Fifa” para direitos básicos da população de baixa renda. “Falta de água é desgoverno dos tucanos”, dizia um dos cartazes. “Constituinte já”, pedia outro. O protesto foi pacífico e não houve detidos.

Por volta das 11h50, a manifestação interditava completamente a Avenida Paulista no sentido Rua da Consolação, disse a Companhia de Engenharia de Tráfego (CET). A passeata prosseguiu pela Avenida Brigadeiro Luís Antônio, sentido bairro, até chegar à Praça Armando de Sales Oliveira, onde fica o Monumento às Bandeiras, próximo ao Parque do Ibirapuera, na zona sul. O grupo se dispersou por volta das 12h30, conforme informou a CET.

Outro núcleo, com cerca de 300 pessoas segundo os organizadores, ficou concentrado até o início da tarde na Praça da Sé, na região central, mas não saiu em passeata.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.