Marcas vão atrás de 80 mil moradores de condomínios

203 residenciais surgiram em apenas oito anos na área de Sorocaba, Jundiaí e Campinas; busca de itens de luxo cresce

Diego Zanchetta, O Estado de S.Paulo

18 de julho de 2010 | 00h00

Os defeitos de São Paulo - insegurança, trânsito, falta de espaço e de convívio com os vizinhos - ficaram do lado de fora dos muros dos 203 condomínios que surgiram em apenas oito anos nas regiões de Sorocaba, Jundiaí e Campinas. É como se uma nova cidade de 80 mil habitantes bem remunerados, com dinheiro para gastar em luxo e diversão, mostrasse as formas de agir de uma nova classe social do interior paulista.

Faltava para esse público endinheirado e acostumado a frequentar a Rua Oscar Freire e o Shopping Iguatemi, na capital, os itens bons do mercado de luxo. "Nos primeiros meses, tudo é alegria quando você mora num lugar sem trânsito, com vizinhos legais, com espaço em casa para receber os amigos. Aí, na hora que dá vontade de ir a um bistrô bater papo com as amigas, de procurar um livro no Conjunto Nacional, sempre vinha o trabalho de pegar a estrada", comenta a pediatra Ana Carla Laurentino, de 44 anos.

A pediatra trocou em março o apartamento de 120 metros em Pinheiros, na zona oeste, por uma casa com piscina e 280 metros de área construída no Residencial Veduta Verde, recém-inaugurado com 31 casas em estilo neoclássico na estrada entre Jundiaí e Itatiba. Ela diz ter feito um "esforço mental hercúleo" para esquecer a distância dos bons serviços da capital.

"Não fico mais com aquele sentimento triste de não poder ir a tal loja, a tal festa à noite. Vou para Campinas, que tem Livraria Cultura e outras lojas boas. Aqui mesmo em Jundiaí estão surgindo coisas legais. Também dá para achar restaurantes excelentes e mais baratos", diz a pediatra, que mudou com o marido, também médico, por causa da bronquite do filho de 3 anos. "Incrível que a tosse dele já diminuiu nesses quatro meses", comemora.

Como a pediatra, outros 50% dos moradores desses condomínios trabalham em São Paulo e fazem deslocamentos diários em rodovias como a Bandeirantes e a Castelo Branco, segundo estimativa de sindicatos que representam o mercado imobiliário no interior. Na esteira dos loteamentos vão chegar agora empreendimentos comerciais de alto luxo no eixo Jundiaí-Campinas.

"Até 2014, vamos chegar a Jundiaí, que hoje detém o 25.º PIB do País. Existe lá um público de alto poder aquisitivo ainda carente de bons serviços", afirma Rodolpho Freitas, diretor executivo da Rede Iguatemi. As cidades de Ribeirão Preto e de São José do Rio Preto também vão receber, até 2014, unidades da rede Iguatemi.

Alphaville. Em Ribeirão, onde 34% da população ganha mais de dez salários mínimos, os primeiros 600 terrenos do loteamento Alphaville foram vendidos no dia 27 de março em seis horas. Alguns compradores chegaram a passar duas madrugadas na fila para adquirir um lote por R$ 600 mil. "O bom é que cada um pode montar sua casa, não é como os outros condomínios com casas iguais", diz Laércio Pizzoni, de 47 anos. Ele ainda comemora outra vantagem de seu futuro lar. "O Iguatemi está sendo construído bem do lado."

Preste atenção

1. Alphaville Ribeirão Preto (2010). Os primeiros 586 lotes foram vendidos em março em menos de seis horas, mas a prefeitura ainda não liberou o cercamento do condomínio

2. Shopping Iguatemi Ribeirão Preto (2014). O complexo de R$ 126 milhões, com 221 lojas, também terá um clube de golfe, dois empreendimentos residenciais de alto padrão e uma torre exclusivamente comercial

3. Shopping Iguatemi Jundiaí (2014). Com 215 lojas, também contará com torres de apartamentos e de escritórios e ficará às margens da Rodovia Anhanguera

4. Shopping Multiplan Jundiaí (2011). Com licença ambiental já concedida pela prefeitura, está sendo construído na principal avenida de Jundiaí, a 9 de Julho, e deve render cerca de 2 mil empregos diretos na cidade

5. Shopping Iguatemi São José do Rio Preto (2014). Voltado para o público A numa região cercada por condomínios de alto padrão, terá 251 lojas e deve levar para o oeste do Estado marcas de grifes que ainda não chegaram à região

6. Condomínio Fazenda Boa Vista, em Porto Feliz (2012). Será o condomínio de mais alto luxo já inaugurado no interior e sede do primeiro Hotel Fasano de campo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.