Mano Menezes recusa teste do bafômetro

Técnico da seleção ainda foi multado, no Rio, por estar sem a CNH. Ao contrário do que diz a lei, ele teve o carro liberado

CLARISSA THOMÉ / RIO, O Estado de S.Paulo

29 Março 2012 | 03h03

Sem a carteira de habilitação, o técnico da seleção brasileira, Mano Menezes, foi parado na noite de terça-feira por uma blitz da lei seca, na frente da sede do Flamengo, na Gávea, zona sul do Rio. Menezes recusou-se ainda a fazer o teste do bafômetro. Apesar de a legislação determinar a retenção do carro caso o motorista esteja sem documento, a mulher do técnico foi autorizada a levar o veículo para casa - possibilidade não prevista na lei.

Menezes foi parado por volta de meia-noite. Em nota publicada em seu site, ele explicou que voltava com a mulher de um encontro com amigos.

O texto não faz menção ao fato de ele ter se recusado a fazer o teste do bafômetro.

"Por estar sem a Carteira Nacional de Habilitação, sofri sanções administrativas na forma de multa e perda de pontos na carteira. O documento original estava em outro automóvel. Após apresentar a cópia do documento e um condutor habilitado, meu carro foi liberado." O técnico disse ainda que apoia a conduta dos agentes e concorda com as "sanções estabelecidas pela lei".

O Detran não reconhece a fotocópia como documento. De acordo com o artigo 232 do Código de Trânsito Brasileiro, dirigir sem a habilitação é infração leve, punida com multa (R$ 53,20), anotação de 3 pontos no prontuário, e retenção do veículo até a apresentação da carteira de habilitação. Não há a alternativa de liberação do carro após a apresentação de condutor habilitado, como ocorre em outros artigos, como o que trata da direção sob efeito de álcool ou de direção com habilitação vencida.

Em nota, o governo do Estado negou que o técnico tenha recebido "tratamento diferenciado". "O procedimento seguiu a medida administrativa prevista no artigo 232 do Código de Trânsito Brasileiro (conduzir veículo sem os documentos de porte obrigatório): retenção do veículo até a apresentação do documento. O veículo de Mano Menezes ficou retido no local da operação e só foi liberado após a apresentação de um condutor habilitado, portando documentos originais."

Menezes foi punido ainda com multa de R$ 957,70 e anotação de 7 pontos na carteira, por se recusar a fazer o teste do bafômetro. Ele também deveria ter a habilitação apreendida por cinco dias úteis, o que não ocorreu. O Detran e a Secretaria de Estado de Governo não esclareceram se o técnico entregará o documento.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.