Manifestantes protestam contra morte de jovem

Mil pessoas caminharam por cerca de 30 minutos pelas ruas do Belém

Tiago Dantas,

13 de abril de 2013 | 12h14

Debaixo de chuva, cerca de mil pessoas tomaram as ruas do Belém, na zona leste, neste sábado, dia 13, em um protesto por causa do assassinato do estudante universitário Victor Hugo Deppman, de 19 anos. O crime foi cometido no dia 9 por um rapaz então com  17 anos - ele completou 18 anos no dia 12 -, aumentando a pressão por mudanças na legislação que define as punições aos adolescentes infratores.

 

Os pais de Victor Hugo estavam entre os manifestantes. Sua mãe, Marisa Rita Riello Deppman, de 49 anos, defendeu a redução da maioridade penal. Hoje, só quem tem mais de 18 anos pode ser processado por um crime. Adolescentes de 13 a 17 anos ficam internador até três anos na Fundação Casa quando cometem alguma infração grave. "Os menores têm licença para matar", afirmou Marisa.

 

Os manifestantes pediam justiça e paz. Eles saíram do Largo São José do Belém e caminharam por 30 minutos até a casa dos pais de Deppman. Dos prédios, moradores acenavam com faixas e panos brancos. Em frente ao condomínio dos Deppman - local onde Victor Hugo foi assassinado com um tiro no rosto após entregar seu celular para um ladrão - houve um ato religioso em memória do estudante.

Mais conteúdo sobre:
Victor Hugo, Deppman,

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.