Diego Zanchetta/Estadão
Diego Zanchetta/Estadão

Manifestantes em SP fazem novo ato contra a Copa do Mundo

Grupo de 250 pessoas interditou a Avenida Paulista e queimou duas bandeiras do Brasil

Diego Zanchetta, O Estado de S. Paulo

24 Maio 2014 | 16h26

Atualizada às 20h07

SÃO PAULO - Um grupo de manifestantes realizou, neste sábado, 24, o 8º Ato contra a Copa do Mundo pelas ruas do centro de São Paulo. Segundo a Polícia Militar (PM), cerca de 250 pessoas participaram do protesto que interditaram a Avenida Paulista e a Rua da Consolação. Até o momento, não há ocorrências de violência ou vandalismo e apenas uma pessoa foi detida.

Com forte presença de policiais, a concentração começou às 15h, na Praça da Sé. Em seguida, o grupo interditou a Avenida da Liberdade e a Rua Vergueiro até chegar à Avenida Paulista. Após percorrer toda a via, bloqueando uma pista, eles chegaram à Rua da Consolação onde manifestantes queimaram duas bandeiras do Brasil em forma de protesto. Por volta das 20h, o ato, que foi pacífico, já se dispersava.

Jovens mascarados e militantes do coletivo Território livre lideraram o protesto, com faixas e palavras de ordem contra a Fifa. Integrantes do PSTU e PSOL engrossaram o ato. "Vamos intensificar os atos até o dia 12 de junho, quando ocorre o jogo de abertura entre Brasil e Croácia", afirma Vitor Araújo, de 19 anos, um dos líderes do movimento "Se não tiver direitos, não vai ter Copa".

O frio e a garoa não atrapalharam a mobilização. "Nem São Pedro nos impediu, ninguém vai nos calar", gritaram em coro.

Detido. O clima ficou tenso na Praça da Sé por volta das 16h, quando um manifestante foi detido pela PM por desobediência, depois de negar vistoria de policiais. Ele foi encaminhado para a delegacia para averiguação e depois foi solto. O protesto segue pacífico. Veja fotos do protesto aqui.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.