Manifestantes do lado de fora pedem condenação

Manifestantes comparecem diariamente na frente do Fórum de Guarulhos. Nas suas faixas, imagens de Mércia Nakashima, frases de apoio a sua família e pedidos de condenação de Mizael Bispo de Souza.

O Estado de S.Paulo

14 Março 2013 | 04h16

Luiz Ricarte, estudante de comunicação de 18 anos, usa um megafone para bradar por justiça. Ele faz parte do Movimento de Combate à Homofobia de Guarulhos. "Nunca tive familiar assassinado, mas amanhã posso sofrer homofobia na rua." Apontando para a prima de Mércia, Solange Fernandes Morais, de 62 anos, Luiz explicou: "Vim para cá por causa dessas mulheres." Hortênsia Silveira Yaginuma, de 73 anos, teve o filho assassinado há cinco anos e vai para a frente do fórum desde o início do julgamento. "Venho prestar solidariedade."

Intitulando-se "marechal príncipe da monarquia" e "juiz universal", Osvaldo José de Oliveira veio de Fortaleza para protestar a favor da condenação de Mizael. Oliveira diz que desde 1964 acompanha julgamentos pelo País e esteve nos júris de Lindemberg Alves Fernandes, condenado em 2012 a 98 anos pelo cárcere privado e morte de Eloá Pimentel, e do casal Alexandre Nardoni e Anna Carolina Jatobá sentenciados a 31 e 26 anos de prisão em 2010 pela morte de Isabella Nardoni, de 5 anos.

De camiseta com a foto de Mércia, Marco Antônio Gomes da Silva, 47 anos, aproveitava o julgamento para pedir apoio a um abaixo-assinado a favor dos perueiros de Guarulhos, impedidos de trabalhar por decisão da Justiça. "Estamos reivindicando apoio, mas também somos solidários aos familiares de Mércia". / MÔNICA REOLOM

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.