Manifestantes depredam três ônibus

Tropa de Choque foi acionada em Taipas

ARTUR RODRIGUES, O Estado de S.Paulo

05 de dezembro de 2012 | 02h05

Dois ônibus foram incendiados, um foi apedrejado e nove pessoas acabaram detidas em um protesto ontem na Estrada de Taipas, na região do Jaraguá, zona norte de São Paulo. A Tropa de Choque foi chamada para conter o tumulto.

A manifestação começou às 15 horas e se arrastou até o começo da noite. O motivo foi a morte do pizzaiolo Diego Vieira, de 18 anos, no dia 29, atribuída a policiais das Rondas Ostensivas com Apoio de Motocicletas (Rocam). Centenas de pessoas colocaram barricadas e queimaram pneus na altura no número 1.800 da Estrada de Taipas. No local, um ônibus foi apedrejado.

A Polícia Militar foi recebida com pedras e usou balas de borracha e bombas de gás. "Jogaram gás em todo mundo", conta o supervisor Ivanildo Lopes Júnior, de 32 anos, que mora perto do local do protesto. Ele diz que três crianças que estavam na casa dele passaram mal.

O tumulto se espalhou e dois ônibus foram incendiados perto dali. Organizadores do protesto afirmam que o grupo que queimou coletivos não fazia parte da ação e se aproveitou da situação

No protesto, com uma foto do filho na mão, estava a empregada doméstica Fabiana Moreira, de 36 anos, mãe de Diego. "A Rocam derrubou meu filho da moto e depois eles passaram por cima dele", conta. Ela diz que a ação foi vista por adolescentes do bairro. Segundo moradores, os PMs agiram em represália a uma denúncia de truculência feita à Corregedoria na área.

De acordo com o major Robinson Cabral de Oliveira, da PM, o caso em questão foi investigado e tudo indica que o rapaz bateu com a moto em um poste. "A apuração desse caso está avançada. Fizemos um levantamento e não havia nenhuma viatura nossa lá", garante o major.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.