Felipe Rau/Estadão
Felipe Rau/Estadão

Manifestantes continuam ocupando o plenário da Câmara dos Vereadores em SP

A ocupação já dura mais de 40 horas; os estudantes passaram a noite no local sem registro de ocorrência, segundo a presidência da Casa

Ana Paula Niederauer, O Estado de S.Paulo

11 Agosto 2017 | 10h14

SÃO PAULO - Manifestantes continuam ocupando nesta sexta-feira, 11, o plenário da Câmara Municipal de São Paulo . De acordo com informações da presidência da Casa, o grupo, com cerca de 50 pessoas ligados a partidos de esquerda, passou bem a noite no local, sem registro de problema.

Eles entraram no plenário por volta das 13 horas de quarta-feira, 9, em protesto contra o pacote de privatizações pretendido pelo prefeito João Doria (PSDB) e contra as recentes restrições impostas para o uso do benefício do Passe Livre Estudantil.

O juiz Alberto Alonso Muñoz, da 13ª Câmara de Direito Público da capital, determinou nesta quinta-feira,10, o prazo de cinco dias para o grupo de manifestantes que ocupa a Câmara Municipal deixar o prédio. 

"A ordem deverá ser cumprida sem o uso de nenhuma arma, ainda que não letal, pois a situação fática e a natureza dos ocupantes (jovens estudantes) recomenda que assim seja realizada", determinou o juiz. Ele considerou ainda o fato de que os vereadores conseguiram fazer sessão plenária, em outra sala, o que não atrapalhou os trabalhos legislativos".

A decisão, classificada como "elástica" pelo presidente da Câmara, vereador Milton Leite (DEM), será alvo de recurso ainda nesta sexta-feira, 11. 

Leite disse que não vai concordar com as reivindicações dos manifestantes, que querem incluir na pauta de votações do Legislativo três projetos de lei relacionados ao plano de desestatização do governo João Doria (PSDB). Entre os projetos, está texto de autoria da vereadora Patrícia Bezerra (PSDB), ex-secretária da gestão Doria, que prevê a realização de um plebiscito sobre as privatizações projetadas pelo prefeito. 

De acordo com informações da Câmara, os estudantes pretendem fazer uma coletiva de imprensa ainda nesta sexta-feira,11.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.