NILTON FUKUDA/ESTADÃO
NILTON FUKUDA/ESTADÃO

Mancha Verde e Tom Maior são rebaixadas para grupo de acesso

Mesmo com desconto de 1,1 ponto por passar o tempo permitido, a Acadêmicos do Tatuapé se manteve, por pouco, no Grupo Especial

O Estado de S.Paulo

17 Fevereiro 2015 | 19h25

SÃO PAULO - A Mancha Verde havia acabado de subir para o grupo especial do carnaval paulistano, mas novamente vai voltar ao grupo de acesso. Com uma nota de 267,90, a agremiação foi rebaixada, junto com a Tom Maior.

Primeira escola a entrar na avenida neste ano, a Mancha Verde homenageou os cem anos do Palmeiras e atraiu torcedores do clube, que balançavam bandeiras e cantavam o refrão do samba. Apesar de ainda não estar lotada durante o desfile, a arquibancada se animou com a passagem da escola. Em toda a avenida, era possível ver faixas da torcida do time de futebol de várias cidades do Estado, como Sorocaba, Americana e São Roque.


Já a Tom Maior fez a pior pontuação entre as 14 escolas: 267,70 pontos. Neste ano a escola buscou a superação com o tema do carnaval, já que, no ano passado, o carro abre-alas quebrou ainda na concentração. O público se empolgou no início com a destaque do abre-alas Fabiana Vilela, grávida de sete meses. Ela tomava água de vez em quando mas sambou o tempo inteiro, de salto alto e fantasia pesada nas costas.

Mas a escola teve problemas técnicos, no entanto, com os chapéus que compuseram as fantasias, o que fez com que a escola tivesse nota baixa na categoria alegorias e adereços, um total de 29,40 pontos, de 30 possíveis. Na ala das bailarinas, que dançavam na ponta dos pés, uma das componentes perdeu o acessório e teve de interromper o desfile por alguns segundos para recolocá-lo. No segundo carro alegórico, um dos destaques também deixou o chapéu cair e, por estar em estrutura suspensa da alegoria, não conseguiu recuperar a peça.

Tatuapé. Mesmo com desconto de 1,1 ponto por passar o tempo permitido pelo regulamento neste ano, a Acadêmicos do Tatuapé se manteve, por pouco, no Grupo Especial, com nota 268. Se não tivesse a penalidade, a escola poderia figurar entre os 8 primeiros lugares.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.