Mancha de espuma toma conta do Rio Tietê

Formação da espuma aumenta nos períodos de alta temperatura; tendência é a mancha se dissipar aos poucos

Solange Spigliatti, do estadao.com.br,

13 Janeiro 2009 | 13h01

Uma mancha de espuma apareceu no Rio Tietê, na capital paulista, na manhã desta terça-feira, 13, na altura da Ponte Aricanduva, na zona leste da cidade. A espuma começou a se formar no desnível existente no ponto de cruzamento em que o Rio Aricanduva deságua no Rio Tietê, e se estende por cerca de 400 metros pelo rio, segundo a técnicos da Companhia de Tecnologia de Saneamento Ambiental (Cetesb).   Foto: José Patrício/AE  Espuma também pôde ser obsevada no trecho de Bom Jesus de Pirapora durante a madrugada   A espuma é causada pela presença de surfactantes e detergentes nas águas do rio e seus afluentes, no trecho poluído da bacia que corta a Região Metropolitana de São Paulo, basicamente originados do uso doméstico, segundo a Cetesb.   A formação de espumas aumenta nos períodos de alta temperatura e com a consequente diminuição de vazão das águas do rio, que aumentam a concentração dos surfactantes nas águas. De acordo com a Cetesb, a tendência dessa mancha é se dispersar à medida que avançar pelo Rio Tietê.    

Mais conteúdo sobre:
poulição Rio Tietê

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.