Mais uma casa noturna é fechada pela polícia em Moema

Moulin Rouge fica a um quilômetro do Bahamas, que teve o alvará cassado pela administração municipal

Andressa Zanandrea, do Jornal da Tarde,

23 de novembro de 2007 | 06h42

Mais uma casa noturna foi fechada por suspeita de favorecimento à prostituição no fim da noite desta quinta-feira, 22. Após uma denúncia, agentes do Grupo de Operações Especiais (GOE) chegaram ao Café Moulin Rouge, na Avenida dos Bandeirantes, em Moema, na Zona Sul. Havia cerca de 60 pessoas na local, entre funcionários e clientes, segundo a polícia. Além das instalações comuns a boates, os policiais encontraram também cerca de 20 quartos, como se fossem um mini-hotel anexo ao café. Em um deles, havia um cliente que estaria fazendo um programa com uma das garotas que trabalham na casa. Eles foram levados ao 27º Distrito Policial, de Campo Belo, e liberados em seguida. O gerente da casa será indiciado por favorecimento à prostituição. Um cliente da casa, um advogado, teria se exaltado e empurrado um policial do GOE, e foi levado à delegacia para averiguação. Após a ação dos policiais, várias mulheres deixaram o local cobrindo as cabeças com peças de roupa. A casa poderá ser fechada em definitivo, caso a Prefeitura faça uma vistoria e não encontre a documentação necessária para o funcionamento do local. O Moulin Rouge fica a um quilômetro do Bahamas, que teve o alvará cassado pela administração municipal.

Tudo o que sabemos sobre:
casa noturnaMoemaprostituição

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.