Mais R$ 60 mi de obras vão para subsídios

O prefeito Gilberto Kassab (DEM) retirou mais R$ 60 milhões de obras em corredores, terminais de ônibus e do monotrilho e transferiu para o subsídio para as viações de ônibus e cooperativas de perueiros. O repasse às empresas chega a R$ 480 milhões, 30% a mais do que os R$ 350 milhões previstos no Orçamento para 2010. Em janeiro, o governo ampliou o teto para R$ 560 milhões e disse que a diferença viria da licitação do mobiliário urbano, que está parada. Procurada ontem, a Prefeitura não se pronunciou.

Renato Machado, O Estado de S.Paulo

28 de setembro de 2010 | 00h00

O prefeito havia prometido reduzir os subsídios após aumentar a tarifa em 17% em janeiro, de R$ 2,30 para R$ 2,70, após um ano sem reajuste. Se mantiver o ritmo de repasses, a verba em subsídios vai chegar a R$ 600 milhões no final do ano.

O subsídio é usado para cobrir a diferença entre o valor arrecadado com a venda das passagens de ônibus e o efetivamente gasto pelas empresas de transporte. A Prefeitura coloca nessa conta a verba para a renovação da frota. Entre o final de agosto e o início deste mês, a administração municipal já havia transferido R$ 60 milhões para o pagamento dos subsídios.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.