Mais de 41 mil processos contra acusados de assassinatos estão parados nos tribunais

Tribunais do País estão com mais de 41 mil processos contra acusados de assassinatos ou tentativa de homicídio parados há mais de 5 anos. Desse total, 24 mil correm risco maior de prescrever, pois não houve encaminhamento para o tribunal de júri. Para reverter esses números, o Conselho Nacional de Justiça (CNJ) estabeleceu em fevereiro de 2010 uma meta para os tribunais julgarem até o ano passado todas as ações. Apenas Sergipe, Amapá e Distrito Federal cumpriram a meta. O Tribunal de Justiça de São Paulo teve o terceiro pior desempenho entre os tribunais brasileiros. "O quadro é preocupante, porque estamos tratando de homicídio", afirmou o ministro do STF Gilmar Mendes.

O Estado de S.Paulo

14 Março 2013 | 04h24

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.