Maioria dos semáforos de pedestre terá vermelho piscante

Mudança ocorrerá em 2.343 cruzamentos até dezembro; lógica é de só começar a travessia com o sinal verde

CAIO DO VALLE, O Estado de S.Paulo

08 de fevereiro de 2012 | 03h05

Os pedestres precisam ficar atentos. A programação das luzes coloridas dos semáforos destinados a eles vai mudar na maior parte da cidade de São Paulo. A partir de agora, o verde - que sinaliza o momento de iniciar a travessia - vai acender durante um tempo menor. E o vermelho piscante, uma indicação de que é preciso chegar rapidamente ao outro lado, será ampliado. A mudança vai vigorar em 2.343 cruzamentos da capital (81% de todos os que têm sinal para quem está a pé) até dezembro.

Não deve haver mudanças no tempo dedicado aos pedestres, apenas a reorganização das luzes. A medida é tratada pela Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) como a "nova fase" do programa de proteção aos pedestres, iniciado no ano passado. Isso porque, segundo a estatal, a ampliação do vermelho piscante garante que a travessia seja concluída com "conforto e segurança" - a pessoa não precisará correr. A nova lógica também deve ajudar a reforçar a ideia de que só se deve começar a atravessar no verde.

Nos últimos dias, 32 semáforos já foram alterados pela Prefeitura. Eles estão nas Ruas Boa Vista e Líbero Badaró, no centro, Cardoso de Almeida, na zona oeste, e nas Avenidas Brigadeiro Faria Lima, zona sul, e Rio das Pedras, na leste. Eles se somam ao semáforo na esquina da Avenida Juscelino Kubitschek com a Rua Professor Geraldo Ataliba, também na zona sul, que vinha sendo usado como piloto da ação desde outubro.

Entretanto, 626 dos 2.969 cruzamentos semaforizados para pedestres da capital não têm prazo para passar pela alteração. Esses aparelhos, diz a CET, têm "restrições técnicas" para alteração da programação. E seguirão com a configuração antiga.

O engenheiro de tráfego Sergio Ejzenberg, defensor da mudança, critica a existência de dois padrões. Isso poderá levar à confusão dos pedestres e, em casos extremos, favorecer atropelamentos. Ejzenberg diz que é essencial que a CET faça uma campanha educacional massiva para avisar a população sobre a mudança. A estatal, porém, ainda não tem nada nesse sentido, além da divulgação na imprensa.

Adesivo. Para indicar os semáforos que já passaram pela mudança, a CET está colando adesivos perto deles. Impressos na cor verde, eles mostram o boneco estilizado presente nas lâmpadas dos semáforos. "Transmitem a mensagem ao pedestre de que aquele local já está dentro da nova concepção", afirma Wlamir Lopes da Costa, gerente de Operações da CET.

Ontem, ninguém ouvido pela reportagem estava ciente de que a sinalização indicava mudanças. "Não sabia o que significava", disse a auxiliar administrativa Ana Maria Oliveira, de 52 anos, que passava na Líbero Badaró. "A Prefeitura tem de divulgar mais", sugeriu o advogado Daniel Mora, de 31.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.