Maioria dos atendidos não tem documento

A grande maioria das pessoas atendidas no Centro de Atendimento ao Trabalho (CAT) da Rua Dino Bueno ontem não pôde ser beneficiada pelos serviços disponíveis por não ter documentos exigidos para conseguir emprego. Até as 15 horas de ontem, de 105 pessoas atendidas, 80 não tinham os documentos necessários (identidade e CPF).

O Estado de S.Paulo

25 de janeiro de 2012 | 03h05

O secretário municipal do Desenvolvimento Econômico e do Trabalho, Marcos Cintra, cogita fazer uma parceria com o Poupatempo para tirar os documentos da população na tenda. "Se esse acabar sendo um problema grande, poderemos fazer um convênio", disse.

Quando Cintra chegou, havia apenas três pessoas sendo atendidas no local, apesar da grande quantidade de funcionários da secretaria. "A população começará a vir naturalmente. No começo, são meio desconfiados", afirmou. Até as 17 horas de ontem, 132 pessoas haviam sido atendidas.

Desempregado há nove meses, André Soares, de 38 anos, foi até a tenda procurando uma vaga de assistente de produção, na cota para deficientes físicos. "Eles disseram que as vagas para essa função estão esgotadas, mas continuarei vindo para ver se aparece algo", afirmou. / A.R.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.