Maioria das praças adotadas fica no centro e na região oeste

A área formada pelo centro e pela zona oeste é a que tem mais praças adotadas na cidade de São Paulo, seguida da zona sul, segundo levantamento da Prefeitura. Em média, a cada quatro áreas verdes desses locais, uma é terceirizada por meio do programa municipal Adote uma Praça. Longe do foco das empresas, estão as zonas norte e leste, com taxas de adoção de 19,3% e 13,3%, respectivamente.

Mônica Pestana e Luiz Guilherme Gerbelli, O Estado de S.Paulo

24 de julho de 2010 | 00h00

As áreas com mais praças adotadas são aquelas que abrigam sedes de empresas e recebem um grande fluxo de pessoas durante o dia. Das 5 mil praças da cidade de São Paulo, 700 são adotadas. Outros 400 processos de adoção são analisados.

O presidente do Sindicato das Empresas de Publicidade e Mídia Exterior de São Paulo, Luiz Rodovalho, avalia que a iniciativa de adotar praças é boa para o empresário. Segundo ele, a empresa avalia o local de acordo com o cliente que pretende atingir. "Apesar da renda per capita ser maior nas regiões sul e oeste, cada marca tem um público diferente e isso varia muito", avalia. Rodovalho considera ainda que o custo-benefício para a empresa é pequeno em relação à contrapartida: colocar uma placa na área pela qual é responsável. O tamanho dela varia de acordo com as dimensões da praça. "A placa poderia ser maior, melhor trabalhada ou com algum diferencial."

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.