Divulgação
Divulgação

Maior festival de design do País vai até domingo em São Paulo

Mais de 160 pontos da cidade recebem intervenções relacionadas à arte, arquitetura, decoração e urbanismo; a maioria dos eventos é aberta ao público

Mônica Reolom, O Estado de S. Paulo

15 de agosto de 2013 | 10h30

SÃO PAULO - Disseminado por 160 pontos da capital paulista, o Design Weekend, maior festival de design do País, entra em sua segunda edição nesta quinta-feira, 15 de agosto. Até domingo, museus, galerias, estúdios, lojas, parques e praças de São Paulo vão receber eventos simultâneos que envolvem, além de design, arte, decoração, arquitetura e urbanismo. A maioria deles é gratuita.

Inspirado nos dois dos principais festivais do gênero no mundo - o Fuori Salone, em Milão , e o London Design Festival, em Londres, o Design Weekend busca "colocar o tema design na roda da discussão e na agenda nacional", afirma o idealizador Lauro Andrade.

Ele explica que, neste ano, a preferência foi pela qualidade das intervenções - cerca de 250, contra as mais de 300 do ano passado - e pela facilidade do transporte dos visitantes. "A mobilidade em São Paulo é um item a ser considerado sempre. Tentamos aglutinar alguns temas em pontos estratégicos da cidade", diz. As ações estão espalhadas nas regiões da Avenida Paulista, Vila Madalena, Pinheiros, centro, Santa Cecília, Parque Ibirapuera, Moema e Vila Nova Conceição.

Destaques. Um dos destaques dessa edição são as "zonas verdes", áreas de lazer instaladas em espaços destinados ao estacionamento de carros. A ideia, que nasceu com o nome de "parklets" em São Francisco, nos EUA, é priorizar os pedestres.

"Essas zonas acabam virando a praia do paulistano", afirma Alexandre Lafer, CEO da Vitacon, empresa que está promovendo essa intervenção. O nome "zona verde" contrapõe-se à "zona azul", local exclusivo para automóveis. Tanto na Rua Amauri, no Itaim, quanto na Maria Antônia, em Higienópolis, a "zona verde" ocupará o espaço de duas vagas de estacionamento de carro.

Abertos ao público, os espaços oferecem áreas de descanso e estacionamento para bicicletas, além de exposições de arte e ações de educação em relação aos ciclistas e aos pedestres. "Queremos promover a ideia de que as pessoas deixem mais o carro em casa. Com essa ação, nesses locais, poderemos atingir milhares de pessoas", diz Lafer.

Algumas estações de metrô também foram invadidas por ações de design e moda. Na São Bento, 10 estilistas expõem em aquários de vidro, como se fossem vitrines, looks emblemáticos de suas carreiras. As peças também ganharam reproduções gigantes em stickers, que foram colados nas paredes da Estação Vila Madalena.

Àqueles que gostam de livros, o Istituto Europeo di Design - IED (Rua Maranhão, 617 - Higienópolis) traz uma feira com descontos de 40% a 80%, além da presença de 20 editoras, e programação especial dedicada aos temas desse universo. A feira se concentra em obras dedicadas ao design, arquitetura, artes plásticas, cinema, fotografia, cultura digital e teorias da imagem. Os horários de funcionamento são quinta e sexta-feira, das 10h às 21h, e sábado e domingo, das 10h às 18h.

Tudo o que sabemos sobre:
DesignSão Paulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.