Maior ciclovia de SP não saiu do papel

Obras de pista de 15 km prometida em 2007 pela Prefeitura não começaram; pelo menos outras sete vias exclusivas estão atrasadas

Rodrigo Burgarelli, O Estado de S.Paulo

14 Agosto 2010 | 00h00

No longo canteiro central da Avenida Eliseu de Almeida, no Butantã, zona oeste, uma faixa de terra marca o lugar onde deveria haver uma ciclovia. Prometida em 2007 como a maior pista para bicicletas de São Paulo, ela teria 15 km e estava prevista para ser inaugurada em 2010. Três anos depois, as obras nem começaram - e esse não é o único caso entre as obras prometidas para os ciclistas paulistanos.

Atualmente, há pelo menos oito obras cicloviárias atrasadas na cidade. Uma delas é a da Avenida Elias Zarzur, em Santo Amaro, zona sul da cidade. Uma pista exclusiva para bicicletas de 6 km estava prevista para ser construída ali como compensação ambiental pela reforma de uma avenida paralela, a Vereador José Diniz - onde, em março deste ano, um ciclista de 53 anos foi atropelado por uma moto. A avenida foi reformada em 2007, mas a ciclovia ainda não foi construída.

As obras também não começaram em três circuitos cicloviários que deveriam ser inaugurados neste ano. O pacote foi anunciado pela Secretaria Municipal de Transportes em agosto de 2009 e previa 55 km de ciclovias, ciclofaixas e pistas com tráfego compartilhado nos bairros com maior uso de bicicleta na cidade, segundo pesquisa do Metrô: Jardim Helena, na zona leste, Jardim Brasil, na zona norte, e Grajaú/Cocaia, na zona sul. O plano previa que algumas das obras começariam até o fim do ano passado, mas nenhuma delas sequer foi iniciada.

O caso da ciclovia da Avenida Inajar de Souza, na zona norte, é diferente. Lá, os 7 km de pista exclusiva chegaram a ser construídos, mas ainda não há sinalização suficiente e o acabamento em alguns trechos não foi concluído. Outro projeto em situação parecida é o bicicletário de 300 vagas em Parelheiros, na zona sul, que já está pronto mas ainda não foi posto em operação. Já na ciclovia da orla da Represa de Guarapiranga, na zona sul, faltam ainda alguns trechos para completar os 12 km prometidos em 2008.

Causas. Para Thiago Benicchio, diretor geral da Associação dos Ciclistas Urbanos de São Paulo (Ciclocidade), os atrasos são causados por falta de conhecimento e motivação. "Ninguém nunca soube como fazer isso durante muito tempo. Falta compreensão técnica, além de vontade do poder público e da sociedade para que essas obras sejam feitas. Quando você tem interesse que uma coisa ande rápido no poder público, ela acontece", diz.

Enquanto as obras não saem, os ciclistas paulistanos se viram como podem, como faz o administrador Rafael Rodo, de 30 anos. Ele mora em Taboão da Serra, na Grande São Paulo, e, para chegar em Perdizes, na zona oeste, onde trabalha, pedala 30 km todos os dias ao lado do canteiro de terra da Eliseu de Almeida. "É perigoso. Tem muito ônibus e caminhão, que não respeitam os ciclistas", reclama.

Em busca de atenção para o problema, um grupo de cicloativistas programou para hoje a inauguração da "Cicloterra do Butantã". "É uma brincadeira que vamos fazer, já que a obra deveria ter sido inaugurada neste ano. Vamos levar uma fitinha, com tesoura e cal, para marcar as pistas. Vai dar para fazer um barulho", diz André Pasqualini, diretor do Instituto CicloBr.

A Secretaria Municipal de Transportes informou ontem que prepara a licitação para contratar a empresa que vai fazer o projeto executivo das ciclovias no Jardim Helena (26 km), Jardim Brasil (17 km) e Grajaú/Cocaia (12 km). No caso das do Butantã e a da Avenida Vereador José Diniz, os projetos estão passando por "readequação técnica". O mesmo aconteceu, segundo a pasta, na ciclovia da Represa de Guarapiranga, em que julho teve licitado o novo trecho. A secretaria afirma ainda que a cidade tem 35,5 km de ciclovias.

EM QUE PÉ ESTÃO...

Av. Eliseu de Almeida

Projeto passa por "readequação técnica"

Av. Vereador José Diniz

Projeto também está sendo revisto pela Prefeitura

Represa de Guarapiranga

Licitação para novo trecho foi realizada no mês passado

Av. Inajar de Souza

Já estão sendo construídos

4 km, segundo a Prefeitura

Circuitos cicloviários no Jardim Helena, Jardim Brasil, Grajaú e Cocaia

Prefeitura prepara licitação para contratar empresa que desenvolverá os projetos

Bicicletário de Parelheiros

Projeto do terminal de ônibus com bicicletário em elaboração

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.