Mãe que incentivou filha a brigar passará por exames

Mulher gritava para filha continuar batendo em outra menina em vez de apartar briga em Araçaiguama

Priscila Trindade, Central de Notícias

17 de setembro de 2009 | 17h06

O Conselho Tutelar de Araçariguama, a 45 km de São Paulo, informou que a mãe que incentivou a filha de 15 anos a brigar na porta da escola passará por uma análise psicológica. O mesmo será feito com a jovem. Os laudos dos exames apontarão se Meire Aparecida Fernandes está apta a continuar com a guarda da adolescente.

 

Veja também:

linkMulher pode responder por mandar filha brigar na escola

 

De acordo com o órgão, se os exames mostrarem que a mãe não tem condições psicológicas, a jovem ficará na casa de um parente. A data para a realização dos exames não foi marcada. O processo deve levar ao menos dois meses para ser concluído.

 

A ex-monitora de ônibus de uma escola estadual da região foi notificada a comparecer às 14 horas desta quinta-feira, 17, no Conselho Tutelar, mas até às 16 horas ela não havia ido ao local. A atitude da mulher é encarada pelo órgão como "desinteresse" pela situação.

 

Meire Aparecida Fernandes teria incentivado a filha a brigar com outra adolescente na última sexta-feira. Um dos alunos da escola filmou a confusão. Enquanto as duas jovens brigavam, Meire dizia as seguintes frases: "Soca a cara dela" e "Puxa o cabelo, dá na cara."

 

Devido ao comportamento dela, a prefeitura de Araçariguama informou na quarta-feira que demitiu a monitora. Ela trabalhava nos ônibus que transportam os alunos. As cenas da briga foram publicadas num site de relacionamento da internet.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.