Mãe passa dias atrás de pistas do paradeiro da filha

Após o desaparecimento da filha, Sandra Moreno, de 47 anos, saiu do emprego para passar o dia atrás de informações. Acorda às 8h, pega uma lista com telefones de IMLs e hospitais e liga para todos. Depois, sai pelo bairro onde mora e por municípios vizinhos na esperança de encontrar a filha.

, O Estado de S.Paulo

21 Fevereiro 2011 | 00h00

Na volta, mesmo exausta, corre para a internet e espalha fotos de Ana Paula. Fica na frente do computador das 20h até a madrugada. E recusa todos os convites de amigos para sair. "Se for só por duas horas, são duas horas que eu deixei de procurar minha filha, então não vou", diz ela, que tem outra filha, de 26 anos, e um filho, de 27.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.