Mãe não queria que filho saísse. Ele não voltou

A dona de casa Maria de Fátima da Silva, de 40 anos, já havia pedido para o filho, Leandro da Silva da Conceição, de 16, não sair à noite. Andava preocupada com a moto que o rapaz, mesmo sem autorização, havia comprado em um leilão.

O Estado de S.Paulo

18 Novembro 2012 | 02h02

Não que o rapaz fosse irresponsável. Desde os 12 anos, ele ajudava o pai no trabalho como pintor. "Mas queria que ele esperasse até os 18 anos", diz a mãe.

Na noite do dia 12 de agosto, o rapaz garantiu que só ficaria no portão de casa, na zona leste. Mas acabou indo para a balada com amigos. "Meu filho foi morto por um policial à paisana, que depois disse que ele estava com uma arma de brinquedo. O estranho é que essa arma nunca apareceu."

Segundo Maria de Fátima, amigos do filho contaram que o policial, sem motivo, mandou Leandro correr. "Meu filho disse que não devia nada, que não ia correr." O inquérito está em andamento. Ninguém foi preso. / A.R.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.