Mãe morre afogada ao tentar salvar filha e marido em Panorama-SP

Nenhum dos três sabia nadar; mulher morreu no Córrego do Macaco, afluente do Rio Paraná

Sandro Villar, Especial para o Estado

24 Fevereiro 2014 | 11h47

PRESIDENTE PRUDENTE - A agricultora Maria Aparecida dos Santos, de 34 anos, morreu afogada domingo à tarde, 23, ao pular nas águas do Córrego do Macaco, em Panorama (SP), para tentar salvar do afogamento sua filha de sete anos, cujo nome não foi divulgado, e seu marido, o agricultor Márcio Rattvaine, de 23 anos. Ninguém sabia nadar.

Ela tomou a decisão ao perceber que o pai teve dificuldade para resgatar a filha, que se debatia nas águas. "O pai, que também se debatia, conseguiu levar a filha até à margem com a ajuda da mãe, que puxou o marido junto com a criança, mas acabou morrendo", explicou um soldado do Corpo de Bombeiros de Presidente Epitácio, que pediu anonimato.

O corpo da agricultura foi encontrado menos de três horas após o afogamento em um local ermo do córrego, afluente do Rio Paraná. "Estava (o corpo) a três metros de profundidade, nosso bombeiro não teve dificuldade para achar o corpo mesmo com a água barrenta, imprópria para nadar", contou o soldado, acrescentando que quatro bombeiros participaram das buscas.

A família mora em Ouro Verde e passava o fim de semana em um condomínio. Depois de ser resgatado, o corpo foi levado para o Instituto Médico Legal (IML) de Dracena. O enterro está marcado para esta segunda-feira, em Ouro Verde.

Mais conteúdo sobre:
Panorama Córrego do Macaco afogada

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.