Mãe e filho morreram em pizzaria

A Pizzaria Belíssima não abre desde o último dia 8, no bairro de Lavras, em Guarulhos, na Grande São Paulo. Na tarde do dia anterior, Maria de Fátima Pessoa de Souza, de 44 anos, fazia os preparativos para abrir o estabelecimento naquela noite.

17 Novembro 2012 | 20h46

O filho, Lucas André Pessoa de Souza, de 22 anos, conhecido entre amigos como Boy, lavava seu Honda do lado de fora, na frente do restaurante. No bairro, todo mundo conhecia o rapaz, que trabalhava na pizzaria da família. Diziam que não era de briga e não tinha encrenca com ninguém.

Eram 17 horas quando a vizinhança toda viu um Celta prata parar na frente da pizzaria. Do carro, saíram quatro homens armados e atiraram no rapaz.

Desesperado, Lucas correu para dentro de casa. Lá, os bandidos acabaram de matá-lo. “Quando a mãe dele abriu a porta assustada, eles atiraram no rosto dela e depois fugiram”, disse uma testemunha ao Estado.

Ao presenciar a cena do lado de fora, contam vizinhos, o pai do rapaz entrou em casa desesperado. Encontrou o filho já morto. A mulher ainda estava respirando e foi levada ao Hospital Geral de Guarulhos, onde morreu.

Além do pai de Lucas, sobreviveu uma irmã dele. Os dois, porém, não são mais vistos na rua. Segundo Francisco Florêncio Sobrinho, tio de Lucas e cunhado de Maria de Fátima, depois da tragédia a família pensa em fechar a pizzaria para sempre e mudar do bairro. /A.R.

Mais conteúdo sobre:
ViolenciaSao Paulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.