Mãe doou filho e simulou sequestro no interior de São Paulo

Jovem autenticou em cartório documento em que concordava entregar criança; menino foi encaminhado a Conselho Tutelar

José Maria Tomazela, O Estado de S. Paulo

18 de outubro de 2014 | 13h41

SOROCABA - A jovem Kaith Monique Pereira de Souza, 19 anos, moradora de Sorocaba, no interior de São Paulo, doou o filho de um ano e oito meses a um casal e simulou um sequestro para se justificar perante os familiares. Na denúncia feita à Polícia Civil, ela alegou que, após aceitar uma carona, havia sido dopada por um casal que fugiu com a criança. Ao ser abandonada quase inconsciente em uma praça da cidade, ela ainda teria sido estuprada por um desconhecido. O caso foi esclarecido na sexta-feira, 18.

Uma equipe da Delegacia de Investigações Gerais (DIG) de Sorocaba, incumbida de apurar o sequestro, descobriu que a mulher havia acessado um site de famílias interessadas em adotar crianças e trocara mensagens com um casal de Bragança Paulista, também no interior. A criança supostamente sequestrada foi encontrada com o casal.

Kaith havia assinado e autenticado em cartório um documento em que concordava em entregar o menino à nova família. Segundo a polícia, o documento não tem valor legal.

O casal estava na fila de adoção de crianças em Bragança Paulista e havia registrado o interesse em um site. A polícia vai investigar as contas bancárias para verificar se houve algum pagamento pela adoção, o que caracteriza crime.

A jovem responderá em liberdade por falsa comunicação de crime. Ela disse ter planejado a doação sem conhecimento da família. Os próprios familiares acreditaram na versão de Kaith e chegaram a distribuir fotos da criança e lançar apelos nas redes sociais.

O menino foi encaminhada ao Conselho Tutelar e a justiça deve decidir seu destino.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.