MARCELO GONCALVES/SIGMAPRESS
MARCELO GONCALVES/SIGMAPRESS

Mãe de Vitória presta novo depoimento e relata ameaças em Araçariguama

Ameaças foram enviadas ao celular da mãe da vítima. Aparelho foi recolhido para perícia pela polícia, que conduz em sigilo as investigações do caso

José Maria Tomazela, O Estado de S.Paulo

20 Junho 2018 | 19h06

SOROCABA – A mãe da menina Vitória Gabrielly Guimarães Vaz, de 12 anos, encontrada morta oito dias após sair de casa para andar de patins, relatou ter recebido ameaças pelo celular antes e depois da morte da filha, em Araçariguama, interior de São Paulo. A mãe, Rosana Guimarães, voltou a ser ouvida pela Polícia Civil nesta quarta-feira, 20, e entregou o celular que será submetido à perícia.

+ Justiça prorroga prisão temporária de suspeito da morte de Vitória

Logo após o depoimento dela, foram chamados a depor o pai da menina, Luiz Alberto Vaz, e sua atual mulher, madrasta da garota. Os dois também tiveram de entregar os celulares.

A Polícia Civil não divulgou o conteúdo dos depoimentos, alegando o sigilo decretado pela justiça nas investigações. Conforme familiares, Rosana relatou ter recebido, em mensagens pelo aplicativo Whatsapp, ameaças veladas e também referências explícitas à forma como Vitória foi morta. Oficialmente, a polícia informa que os novos depoimentos são necessários em razão de ter se confirmado o assassinato da garota.

Conforme a polícia, o esclarecimento do caso depende do resultado de perícias que já foram realizadas, como o laudo do Instituto Médico Legal (IML) sobre a causa e o horário da morte. Também foram periciados celulares de familiares e testemunhas, as roupas e os patins da garota assassinada e amostras de terra colhidos no local em que o corpo foi encontrado.

Dois investigados cederam amostras para exame de DNA. A polícia analisa ainda imagens de câmeras instaladas em possíveis trajetos percorridos pelo carro usado para levar a garota ao local onde o corpo foi encontrado.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.