Pedro da Rocha/AE
Pedro da Rocha/AE

Mãe abandona filhos em condições subumanas na zona sul de SP

Segundo denúncia anônima que chegou à PM, crianças estavam sozinhas havia dois dias

Pedro da Rocha, do estadão.com.br,

08 de maio de 2012 | 05h59

SÃO PAULO - Em um quarto que de tão sujo alguém com noções básicas de higiene sentiria dificuldades para permanecer por 10 minutos, uma mãe deixava seus filhos, um menino de dois anos e uma menina de cinco, sozinhos. Ambos foram encontrados pela polícia, na noite de segunda-feira, 7, em um cômodo localizado na Rua Flor do Pinhal, número 93, na favela de Heliópolis, zona sul de São Paulo, dentro de um cortiço de três andares. A denúncia anônima recebida pela Polícia Militar (PM) informava que o abandono já durava dois dias. O Conselho Tutelar encaminhou as crianças para um abrigo.

Ao chegarem na residência, os policiais militares tiveram a ajuda de vizinhos para abrir a porta da morada de um quarto, cozinha e banheiro. As crianças dormiam em um colchão jogado no chão. "As crianças estavam com fome e sujas", contou o soldado Reginaldo Ferreira, do 46º Batalhão. "Tivemos que dar banho nelas na casa de um vizinho, pois ali não havia condições", acrescentou. Após aproximadamente uma hora da chegada d a PM, a mãe apareceu.

Adriana Barbosa Leite, de 26 anos, alegou que havia saído para trabalhar em um "bico", e que precisava do dinheiro para comprar comida para as crianças. Sobre a insalubridade da moradia, disse que estava deprimida por não ter quem a ajudasse e por isso não teria ânimo para limpar a residência. "Eu chorava a todo momento e não conseguia fazer mais nada. Sei que preciso de ajuda", disse Adriana. O pai, segundo ela, está preso.

Na residência, o cheiro fétido é insuportável. Há fezes pelo chão, comida azeda na pia da cozinha e teias de aranha nas paredes. Roupas estão amontoadas no chão e nos colchões. Restos de comida espalhados por toda a parte. "É assustador", disse o conselheiro tutelar Emerson de Abreu Santana, acostumado a lidar com este tipo de situação.

A mãe será encaminhado para uma assistente social e para recuperar a guarda das crianças terá que comprovar que possui condições de cuidar delas. Enquanto isso elas ficarão em um abrigo. O caso foi registrado como abandono de incapaz no 16º Distrito Policial (DP).

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.