Maconha deu início a protesto

Em maio, o estudante Felipe Ramos de Paiva, de 24 anos, foi assassinado no estacionamento da Faculdade de Economia e Administração, na USP. Após o crime, os alunos pediram mais segurança e, em setembro, a Reitoria firmou convênio de 5 anos com a PM para aumentar o policiamento na Cidade Universitária.

O Estado de S.Paulo

09 Novembro 2011 | 03h01

No dia 27 de outubro, policiais militares detiveram três universitários por porte de maconha na Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH). Houve revolta entre os colegas e seis carros policiais acabaram depredados, enquanto os alunos eram autuados. Em assembleia logo na sequência, optou-se pela invasão do prédio da administração da FFLCH.

No dia 1.º, a maioria dos estudantes votou pela desocupação. Uma minoria decidiu, então, invadir o prédio da Reitoria. No mesmo dia, porém, alunos fizeram ato de apoio à PM.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.