Mackenzie já comprou área

Não é a primeira vez que a Prefeitura de São Paulo vai vender imóveis municipais para faculdades tradicionais. Projeto de lei de autoria do ex-prefeito José Serra (PSDB), enviado à Câmara Municipal em 2006, autorizava a venda, por R$ 28,9 milhões, de uma área usada pelo Instituto Presbiteriano Mackenzie na Rua Maria Antônia, também na região central.

O Estado de S. Paulo

23 de fevereiro de 2012 | 03h02

Assim como a Fundação Getúlio Vargas (FGV), o Mackenzie se beneficiou da possibilidade de adquirir o terreno que usava desde 1955 sem nenhum ônus - apenas em 2005 um aluguel de R$ 240 mil começou a ser cobrado pelo Município pelo uso da área.

O valor da venda foi considerado dentro dos padrões para a região por especialistas do mercado imobiliário. O Mackenzie teria seis anos para pagar as prestações trimestrais para adquirir a área.

O projeto virou lei em 2009 e o negócio foi concretizado em seguida - meses depois da promulgação da lei, o contrato de aluguel do terreno de cerca de 10 mil m² foi revogado pelo prefeito Gilberto Kassab (PSD), o que significa que o Mackenzie passou a ser o dono do terreno e dos imóveis.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.