Fabio Mauricio/Portal K3
Fabio Mauricio/Portal K3

Macaco Chico pode ser embalsamado e ficar exposto dentro de casa

Família fará pedido à Justiça de São Carlos para amenizar tristeza de sua dona, que poderá vê-lo todos os dias

Sandro Villar - O Estado de S. Paulo,

09 Fevereiro 2014 | 16h32

PRESIDENTE PRUDENTE - Pelo jeito nem a morte vai separar o macaco Chico de sua dona, a aposentada Elizete Farias Carmona, de 71 anos. É que o macaco-prego, que morreu sexta-feira aos 38 anos, poderá ser embalsamado e ficar exposto dentro de casa. A família da idosa fará pedido à Justiça de São Carlos, no interior paulista, solicitando permissão para empalhar o animal, vítima de insuficiência renal devido à velhice.

Se a Justiça concordar, Chico ficará exposto dentro de casa para amenizar a dor de sua dona. "Para a minha mãe, seria uma alegria ver o macaco todo dia, ela está muito debilitada e não come nem dorme desde sexta-feira", explica o aposentado Everaldo Furlan Farias, de 43 anos.

Outra alternativa é enterrar o macaco no quintal da casa, no espaço do Recanto do Chico, de 14 metros quadrados. "Se a Justiça autorizar, Chico terá uma sepultura, nada de cova simples", afirma. A construção do recanto, que tem, por exemplo, casinha e cipó, custou cerca de R$ 4 mil, dinheiro que a família arrecadou por meio de doações. O macaco vivia no recanto desde setembro do ano passado. Otimista, Farias diz que "nós vamos conseguir na Justiça".

A família, no entanto, pode ter o pedido negado. Se isso ocorrer, o corpo do macaco, que está congelado numa clínica veterinária, deverá ser encaminhado para o Ibama ou para a Polícia Ambiental. A notícia de que o enterro estava marcado para segunda-feira foi desmentida por Farias. "Não tem nada disso (enterro)", avisa. Preocupado com a saúde da mãe, ele a enviou para a casa de uma irmã em São.José do Rio Preto.

Insuficiência renal. A morte do macaco foi causada por insuficiência renal devido à velhice do animal. Um exame de sangue apontou a causa. "Foi coletado sangue para exame, e o laboratório confirmou a insuficiência renal", resume a bióloga Ariane Leoni, que não quis revelar a idade. "É uma doença do envelhecimento", explicou. Ela passou a observar o macaco a partir de setembro do ano passado, após Chico passar 16 dias na Associação Protetora dos Animais Silvestres (APASS), em Assis.

Mais conteúdo sobre:
Macaco ChicomorteSão Carlos

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.