Macaco Chico é tirado de família após 37 anos de convivência

Segundo a Polícia Ambiental, animal foi levado por determinação judicial; dona espera contar com a ajuda de um advogado para ter Chico de volta

Sandro Villar, de O Estado de S. Paulo,

06 de agosto de 2013 | 08h46

Depois de 37 anos, o macaco Chico foi tirado da família com a qual vivia em São Carlos, no interior paulista. Na manhã deste sábado, uma equipe da Polícia Ambiental foi à casa de Elizete Farias Carmona, de 71 anos, com mandado de apreensão do animal expedido pela Justiça por solicitação do Ibama (Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis). 

 

No colo de Elizete, que o tratava como filho, o macaco-prego até esboçou reação agarrando o pescoço de sua dona, que sofre do coração. Ela desmaiou e foi levada ao Pronto-Socorro com queda de pressão.

Os policiais ambientais ficaram com pena da idosa, explicando que cumpriam determinação judicial e que o Ibama havia recebido uma denúncia. Eles levaram Chico para a APASS (Associação Protetora dos Animais Silvestres), em Assis. 

 

A família tem licença do Ibama, mas o documento, obtido há 20 anos, não foi encontrado neste sábado para desespero de dona Elizete. Ela espera contar com a ajuda de um advogado para recorrer e ter o animal de volta.  A mulher ama tanto o seu bicho de estimação que até lhe deu nome completo: Francisco Farias Carmona.

 

 Nascido em Mato Grosso do Sul, Chico foi trazido para São Carlos por um caminhoneiro. Ele deu o macaco de presente à família Carmona. O animal seria levado para uma chácara, mas a Polícia Ambiental chegou antes. A vizinhança gostava de Chico, que adorava jogar beijinhos para as moças.   

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.