Lutador é condenado a 7 anos de prisão por briga no trânsito

Mário Sérgio Neto causou acidente de trânsito em Piedade e ainda agrediu a vítima e a pessoa que a socorria

José Maria Tomazela, de O Estado de S. Paulo,

13 Dezembro 2008 | 12h53

O lutador de artes marciais Mário Sérgio do Lago Ramos Neto, conhecido como Netão, foi condenado a uma pena total de sete anos, três meses e 25 dias de prisão por ter causado um acidente de trânsito e ainda espancado a vítima e a pessoa que a socorria, em outubro de 2006, em Piedade, região de Sorocaba. A sentença, publicada na sexta-feira (12), foi dada pela juíza Francisca Miller de Abreu Dallaglio, do Fórum de Piedade. Advogados de Netão conseguiram uma liminar que permite ao réu recorrer em liberdade.  De acordo com as informações do processo, Netão fez uma ultrapassagem em local proibido na rodovia que liga Piedade a Sorocaba e bateu de frente no automóvel dirigido pelo gerente de vendas Manoel Soares, que ficou preso nas ferragens. O consultor Fernando Moraes parou para ajudar a vítima e foi violentamente espancado pelo lutador, que também agrediu Soares. Moraes sofreu traumatismo craniano e ficou um mês internado em unidade de terapia intensiva. Ele perdeu o olfato e ainda se recupera dos traumas.  A juíza condenou o lutador a cinco anos e dez meses de prisão pelas lesões causadas ao consultor, e a um ano e cinco meses de reclusão pela agressão ao gerente de vendas. Netão recebeu ainda uma pena de 25 dias de prisão por ter causado o acidente e teve a carteira de motorista suspensa por quatro anos. Moraes, a principal vítima, considerou a pena pequena e injusta a permissão para que o réu continue em liberdade.

Mais conteúdo sobre:
ViolênciaTrânsito

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.