Lutador de jiu-jítsu Ryan Gracie é encontrado morto na prisão

Ele estava detido desde sexta por tentativa de roubo; a polícia ainda não sabe a causa da morte

Beth Moreira, da Agência Estado,

15 de dezembro de 2007 | 11h01

A Secretaria de Segurança Pública de São Paulo (SSP) informou no início da tarde deste sábado, 15, que ainda está apurando as causas da morte do lutador de jiu-jítsu Ryan Gracie, 33, encontrado sem vida em uma das celas da carceragem do 91.º Distrito Policial (Vila Leopoldina). O lutador foi preso na tarde de sexta-feira acusado de roubo de um carro e tentativa de roubo de uma motocicleta.   Médico de Gracie afirma que lutador estava drogadoHouve falha em procedimento no caso Gracie, diz especialistaDelegado conta como encontrou o lutador morto na cela"Ele estava em perfeitas condições"diz médico Segundo informações da secretaria, a Polícia Militar atendia a um chamado de roubo de veículo por volta das 12h50 de sexta quando foi informada que o veículo, um Toyota Corolla, tinha se envolvido em uma colisão. Quando se dirigiram para o local do acidente, encontraram o lutador detido por motociclistas, após tentativa de roubo de uma moto no cruzamento da Avenida Henrique Schaumann com a Avenida Juscelino Kubitschek. A polícia suspeita que tenha agido sob efeito de drogas. De acordo com o delegado plantonista Ailton Camargo Braga, o lutador não conseguia formular frases até sete horas após a prisão.  Ainda segundo informações da Secretaria de Segurança, o advogado do lutador informou que este estava tomando remédios controlados. A defesa teria dito ainda, segundo a SSP, que Gracie estava fugindo de pessoas que estavam tentando matá-lo. O lutador Ryan Gracie nasceu no Rio de Janeiro em 14 de agosto de 1974. Membro de uma conhecida família de lutadores, Gracie ganhou cinco Prides, a Copa Company McDonalds de Judô, o Panamericano de Jiu-Jítsu em 1997 na categoria peso pesadíssimo, o Campeonato Brasileiro de 1997 e o Campeonato Sem Quimono. Enquanto os primos Royce e Rickson são ídolos do vale-tudo, Ryan ganhou a pecha de bad boy e "ovelha negra" da família. Há sete anos, foi preso, acusado de tentativa de homicídio ao brigar numa boate. Respondeu a vários processos de agressão. Era professor e proprietário de uma academia na Vila Olímpia, zona sul da capital. O corpo de Gracie foi liberado pelo Instituto Médico Legal (IML) às 18h40, de onde seguiu para o Serviço de Verificação de Óbito da Prefeitura da capital. A Agência Estado apurou que o corpo de Gracie seria embalsamado e seguiria em seguida para o Rio de Janeiro, onde deverá ser sepultado. A família Gracie e seu advogado não confirmaram o translado do corpo do lutador para o Rio, nem o local e o horário do sepultamento.var keywords = "";  Matéria ampliada às 12h13 e às 19h40

Tudo o que sabemos sobre:
Ryan Gracie

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.