'Lula nunca sabe de nada, nunca vê nada', diz pai de vítima

O administrador de empresas, Fabiano Marques, 30 anos, voltava do sul após visitar os pais

19 de julho de 2007 | 02h02

Fabiano Marques, 30 anos, administrador de empresas, era um das 186 pessoas que estavam no vôo 3054 da TAM. Há cerca de um mês, ele voltou de um curso de abertura de capital e mercado financeiro na Universidade de Columbia, em Nova York, nos EUA. Tinha um escritório junto com um amigo em São Paulo.   Veja também: Separado da família, advogado vê explosão Empresário paulistano competiu na S. Silvestre Morte de 4 da mesma família comove Birigüi Empresário queria abrir empresa em Angola Passageiro antecipa vôo e morre em acidente Irmãs queriam assistir a filme de Harry Potter Amazonense filho único vinha de curso no RS   Na quinta-feira da semana passada, foi visitar os pais em Porto Alegre. "A perda de um filho é algo arrasador, devastador", diz o pai Oswaldo Marques, advogado.   "A dor só aumenta quando percebemos que essa era uma tragédia anunciada. Em um país sério, já tinha caído gente por causa dessa crise aérea, seja o presidente, ministros, presidente da Infraero, da Anac. Onde está o chefe da Nação numa calamidade dessas? O Lula nunca sabe de nada, nunca vê nada, nunca faz nada."   Oswaldo Marques, sempre falando com muito orgulho da carreira de seu filho, disse que pretende processar o governo. "Chegamos num nível insustentável", diz. "Vou processar Anac e Infraero, no mínimo. A pista não estava pronta, meu Deus, só a gente viu isso? Não quero dinheiro, quero justiça e respeito. Nenhum dinheiro do mundo vai trazer meu filho de volta."

Mais conteúdo sobre:
vôo 3054

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.