Lula assumirá reunião do conselho da aviação no lugar de Pires

Decisão foi tomada em reunião nesta quinta-feira da qual não participou o ministro da Defesa

Vera Rosa, Leonencio Nossa e Lisandra Paraguassú, do Estadão,

19 de julho de 2007 | 15h32

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva deve coordenar nesta sexta-feira, 20, a partir das 15 horas, a reunião do Conselho Nacional de Aviação Civil (Conac), no Ministério da Defesa. Lula tomará o lugar do ministro Waldir Pires, que curiosamente não participou do encontro desta quinta-feira.   Veja também: Dilma convoca presidente da Infraero e diretora da Anac  Lista completa dos mortos Quem são as vítimas do vôo 3054 As histórias das vítimas da tragédia O local do acidente Opine: o que deve ser feito com Congonhas? Os acidentes mais graves da aviação brasileira Cronologia da crise aérea Conheça o Airbus A320 A repercussão da tragédia no mundo Assista a vídeos feitos no local do acidente   Para a reunião desta sexta-feira, o governo vai levar uma lista de medidas para aliviar o tráfego aéreo no Aeroporto de Congonhas, em São Paulo, onde ocorreu a tragédia com o avião da TAM, na noite da última terça-feira. A idéia é discutir possibilidades para limitar pousos e decolagens no aeroporto. A presença do ministro da Fazenda, Guido Mantega, já foi confirmada   Lula também fará um pronunciamento nesta sexta-feira, em cadeia nacional, na tentativa de expressar sua solidariedade às famílias das vítimas do desastre da TAM, o maior da história da aviação civil brasileira. Ainda não foi divulgada a hora do pronunciamento. Todos esses pontos foram discutidos na reunião desta quinta-feira do presidente com o grupo de coordenação política, no Palácio do Planalto. A crise aérea foi o único tema da reunião.   O presidente também se reuniu no final da manhã desta quarta-feira com o comandante da Aeronáutica, Juniti Saito, durante mais de uma hora. Saito informou o presidente que a caixa-preta do Airbus da TAM seguirá ainda nesta quinta-feira para os Estados Unidos. Saito recebeu a garantia dos responsáveis pelo trabalho nos EUA de que a degravação dos diálogos da cabine será enviada de volta para o Brasil na próxima semana.   Até agora, o governo acredita que a hipótese mais provável para a tragédia com o avião da TAM seja falha humana, por causa do excesso de velocidade do avião quando tocou a pista, ou defeito do próprio Airbus.   Ministro de escanteio   Há algum tempo escanteado da gestão da crise aérea, Waldir Pires ficou ainda mais apagado após a tragédia desta semana. Além de não ter sido convidado a participar da reunião de coordenação do governo na manhã desta quinta-feira, o ministro também não foi escalado a ir para São Paulo e acompanhar o resgate de perto. Toda a responsabilidade pelo acompanhamento do caso foi transferida para Saito. Pires só se pronunciou a respeito do episódio no início da tarde da última quarta-feira.   Lula da Silva não planeja montar, formalmente, um gabinete de crise, mas pretende demitir em breve a cúpula da Empresa Brasileira de Infra-Estrutura Aeroportuária (Infraero) e tirar poderes do ministro da Defesa, Waldir Pires. A idéia de Lula é reforçar o Conselho Nacional de Aviação Civil (Conac), criado em 2003 para assessorar o governo nas questões relacionadas ao tráfego aéreo.   O presidente sabe que é preciso adotar providências rápidas para combater a imagem de que o Poder Executivo não consegue resolver a crise e cobra resultados dos auxiliares. Em conversas reservadas, Lula já se queixou do presidente da Infraero, brigadeiro José Carlos Pereira.   (Colaborou Tânia Monteiro, do Estadão)   (Com Reuters)  

Mais conteúdo sobre:
Vôo 3054

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.