Luisa Mell (@luisamell)/Instagram
Luisa Mell (@luisamell)/Instagram

Luisa Mell resgata mais de 50 cães e gatos em casa na zona sul

Idosa acumulava animais em sua residência no Capão Redondo; segundo instituto, ao menos 90 morreram no local

Felipe Cordeiro, O Estado de S.Paulo

07 Maio 2018 | 19h58
Atualizado 07 Maio 2018 | 20h27

SÃO PAULO - O Instituto Luisa Mell resgatou mais de 50 animais que viviam em condições insalubres na casa de uma idosa no Capão Redondo, zona sul da capital paulista, nesta segunda-feira, 7. A maioria dos cães e gatos estava doente. Segundo a organização não governamental (ONG), ao menos 90 morreram no local.

+++ Polícia resgata 135 cães vítimas de maus-tratos em canil de Osasco

Segundo a ativista e apresentadora de TV Luisa Mell, fundadora da ONG que leva seu nome, a mulher, identificada apenas como dona Maria, apresentava sinais de transtorno de acumulação e trazia para casa todos os animais que encontrava na rua.

+++ Mais de 100 cães, gatos e aves vítimas de maus-tratos são resgatados

"É um problema muito sério. A pessoa que é acumuladora tem boa intenção, quer ajudar, mas acaba perdendo totalmente o controle", afirmou Luisa ao Estado. "A pessoa não faz por mal."

+++ Câmara aprova projeto que proíbe sacrifício de cães e gatos sadios no País

A ativista disse que recebeu de uma policial a denúncia sobre as condições precárias do imóvel e que assim que soube do caso enviou ração e voluntários para fazer um mutirão de limpeza. 

Ela explicou que resgatou 50 gatos e 13 cachorros e que não pôde levar todos que estavam na casa por causa da falta de espaço no instituto. "Nós temos controle da quantidade de animais e precisamos fazer as doações primeiro antes de trazer mais. Senão, eu que viro uma acumuladora."

Segundo Luisa, não foi registrado um boletim de ocorrência na Polícia Civil, já que não havia indícios de maus-tratos intencionais contra os animais. A filha da idosa se comprometeu a tratar o transtorno da mãe. "É um problema pouco discutido. A família precisa ajudar porque os animais estão morrendo e a pessoa vive no meio da sujeira. É ruim para ela, para eles e para a vizinhança."

Mais tarde, a ativista publicou em seu perfil no Instagram um vídeo em que dona Maria agradece a ela pela ajuda com os animais e afirma que permitiu que eles fossem retirados de sua residência.

"Luisa Mell foi um anjo na minha vida. O que ela fez foi muito, muito bonito", disse dona Maria. "Ela veio aqui para nos ajudar, não para roubar meus bichos. Eu autorizei e autorizo a vir buscar o resto, está precisando muito de ajuda."

 

Nas últimas semana cerca de 90 gatos morreram na casa da Dona Maria... assim q a investigadora entrou em contato comigo, percebemos que apesar de bem intencionada, dona Maria mantinha os animais em ambientes totalmente insalubre! os animais estavam em péssimas condições de saúde e higiene! Fizeram um mutirão de limpeza( obrigada aos q ajudaram) e nós levamos ração enquanto eu n tinha espaço para resgatar! Hj fomos até o local, resgatamos 50 gatos q estão em péssimo estado de saúde e 13 cachorros! Dona Maria ficou feliz, a filha dela também nos agradeceu muito. Infelizmente tenho bastante experiências em casos como este... já retirei dezenas de animais em péssimas condições de algumas pessoas q n tinham condições e no outro mês já estavam@lotados de novo e submetendo os animais a maus tratos! Por mais q a intenção seja boa... os animais sofrem e morrem! Meu trato com a Dona Maria e a filha foi q eu resgataria e ela iria receber tratamento psiquiátrico tb! Eu resgatei, ela está sendo tratada... mas as pessoas querem me crucificar, pq n aplaudi o q Dona Maria faz! Pq amontoar animais em casa em local imundo e cheio de doenças não é proteger os animais! Mesmo q a intenção seja boa... Como vcs podem ver Dona Maria está feliz e grata! Os animais estão muito doentes e eu preciso muito da ajuda de vcs! Nem consegui resgatar todos ainda... Qd vcs virem alguém assim, n aplaudam! Ajudem!! São pessoas q precisam de tratamento!

Uma publicação compartilhada por Luisa mell (@luisamell) em

Os 63 animais resgatados nesta segunda foram levados à sede do Instituto Luisa Mell, em Ribeirão Pires, no ABC Paulista, onde serão submetidos a exames e ficarão abrigados até que possam ser adotados.

No sábado, 5, a ONG promoveu uma feira no Butantã, zona oeste de São Paulo, que terminou com 48 adoções.

Em suas redes sociais, a ativista publicou imagens do resgate na zona sul nesta segunda e pediu ajuda de seus seguidores para receber doações e custear a recuperação dos animais. O instituo disponibilizou três contas bancárias para quem quiser contribuir: Banco do Brasil, agência 1817-1, conta corrente 120.000-3; Bradesco, agência 1974-7, conta corrente 288-7; e Itaú, agência 0772, conta corrente 09021-3.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.