Longa história de proibições

No século 19, já havia camelôs - grafava-se camelots - em São Paulo. Eles vendiam porta-níqueis, gravatas e canivetes na capital.

O Estado de S.Paulo

18 de agosto de 2013 | 02h00

A categoria sempre foi perseguida. Em 1960, o então prefeito Ademar de Barros proibiu os vendedores ambulantes de trabalhar. A repercussão foi tão negativa que se viu obrigado a voltar atrás.

Em 1977,o prefeito Olavo Setúbal incentivou os camelôs deficientes. Em 1986, Jânio Quadros proibiu vendas na rua, com exceção de quem tinha alguma deficiência.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.